A VERDADEIRA POBREZA

Eu gosto do simples, me impressiono como algumas pessoas, apesar de  não terem estudos, são tão profundas e sábias. Ser sábio não é ter faculdade, quem assim pensa se engana profundamente. Sabedoria é a capacidade de gerenciar seu conhecimento seja ele qual for,  ou a capacidade de tomar boas decisões, é claro que um curso superior ajuda muito, mas não existe garantia de que ele faça alguém inteligente.

Um tempo atrás assisti a um vídeo que me deixou muito pensativo. Era uma senhora (Dona Lindalva), sem muito estudo e muito pobre, que contava como tinha batalhado para ter o seu pedaço de chão e o quanto suava a camisa para aprender a ler e escrever, pois era analfabeta. No meio do vídeo ela solta uma frase digna de um grande filósofo: “Minha pobreza é só de dinheiro…”.

Muito passam a vida tendo como principal objetivo ganhar dinheiro. E se esquecem de viver o que a vida dá de graça. Temos tantas tecnologias que nos esquecemos de dar valor ao que temos. Muitos acham que ser feliz é ter, mas quando acabam tendo, descobrem que ainda continuam infelizes.

Aquela senhora não se curvou ante a falta de recursos ou limitações e fez a opção de seguir firme valorizando o que tinha. Acredito que muitas vezes perdemos muito tempo reclamando, desejando ter, pensando no futuro e nos esquecendo do hoje.

 Quando falamos que a nossa pobreza é só de dinheiro, afirmamos que a única coisa que nos falta é o vil metal, porém, não é por conta da falta que seremos infelizes. Não podemos deixar que as riquezas definam nossa felicidade, ser feliz não é ter e sim ser. Gosto do que Phillip Keller fala em seu livro “Nada me faltará”:

“Os homens estão sempre buscando segurança fora de si mesmos. São inquietos, inseguros, ambiciosos, ambiciosos de mais riquezas – querendo isto e aquilo, e contudo nunca estão realmente satisfeitos espiritualmente” (KELLER, 1984, p. 26)

Não é se acomodar, mas se contentar com o que temos e viver o hoje, é ter em mente que a verdadeira felicidade e paz, vêm de Deus. Se você não é feliz, nada vai suprir esta falta de felicidade, ou você resolve o problema, que é interno e não externo, ou você nunca vai mudar.

Quando você resolve esta falta, você pode ter muito ou pouco que estará feliz, você aprende a viver um dia de cada vez, valorizará o hoje, antes de ficar correndo atrás como louco de um futuro que nunca vem.

 

 

BIBLIOGRAFIA

KELLER, Phillip, Nada me Faltará, O salmo 23 à luz das experiências de um pastor de ovelhas, Editora Betânia, Belo Horizonte, 1984

15 visualizações