A ODISSEIA DA DOR I: PROVOCAÇÕES

Fazer uma faculdade foi um dos meus grandes sonhos, sempre quis aprender mais teologia, ampliar meu conhecimento e aprender mais ferramentas para interpretar a Bíblia. O que eu nunca achei que aconteceria era que eu teria inúmeras dúvidas e incertezas em pleno final de curso.

Foi quase na conclusão do meu bacharelado em teologia que eu tive uma crise de fé das mais graves, não tenho medo de confessar. Eu passava por um complicado problema de saúde, estava também lidando com uma depressão muito profunda e ainda por cima me encontrava desempregado, sentindo tudo ruir a minha volta.

Você não sabe o quanto eu clamei a Deus, o quanto pedi ajuda, me sentindo entre uma oração e outra, abandonado, desprezado e sem esperança. É como se Deus tivesse me deixado à deriva, me abandonado à própria sorte ou talvez como se ele nem existisse e fosse o fruto da minha imaginação. Acredite, eu pensei muito nesta possibilidade.

Já se sentiu desamparado? Já se perguntou onde estava Deus enquanto o caos estava acontecendo? Já se sentiu sozinho entre as lutas? Tem dias que é quase impossível não pensar que Deus nos abandonou, eu mesmo já pensei algumas vezes, mas também aprendi muito com o meu momento de crise, o caos fez com que eu buscasse mais a Deus, procurasse respostas e aprendesse, sendo que neste texto em questão eu traço um pouco do caminho que percorri e as respostas que fui achando ao longo de todo o meu vazio.

Vale lembrar que o sofrimento é importante, ele deve ser uma espécie de trampolim que nos leva a Deus, a buscá-lo mais, a orar mais e a estudar mais a sua palavra. Tiago 1:2-3 diz:

“Meus irmãos, considerem motivo de grande alegria o fato de passarem por diversas provações, pois vocês sabem que a prova da sua fé produz perseverança”

 A provação produz em nós perseverança, faz com que busquemos mais a Deus e entendamos mais a sua palavra. Não podemos esquecer que Cristo já nos avisou que teríamos aflições (João 16:33).

Outro ponto importante que temos que ter em mente antes de embarcarmos em nossa reflexão é que todo o caos existe por causa do pecado, da desobediência do homem, do fato de que o homem se separa cada vez mais de Deus e por isso, acaba sempre no caos, ou sujeito a todo o caos do mundo. Está é uma verdade que precisamos entender e aceitar. Mas o sofrimento suscita mais algumas perguntas, deixam no ar algumas questões, começarei falando das primeiras respostas que eu achei, para terminar falando do ponto final que eu coloquei na questão Deus e o sofrimento.

Na época o sofrimento me levou até o livro de Jó, foi nele que eu achei alento para a minha vida. É claro que eu não passei nem um terço do que ele passou, mas o livro nos mostra que o justo sofre sim, mesmo sem dever nada. O livro também evidencia que nunca entenderemos os desígnios de Deus, nunca saberemos realmente a sua vontade, mas apesar de tudo, ele sempre estará conosco, sendo que no fim, o mal sempre acaba, é claro que acaba.

Contudo foi em Gênesis 37, lendo a história de José, que eu tive um certo alívio, a história dele me inspira a confiar em Deus, mesmo passando por dificuldades, a parte boa é que o texto nos mostra que apesar de todo os problemas, Deus sempre transforma o mal em bem. Com isso, tive algum alívio, mas continuei com algumas perguntas martelando a minha cabeça, entretanto estas duas passagens bíblicas foram fundamentais em minha busca por explicação, falarei delas depois em textos que virão mais adiante.

O sentimento de abandono é a primeira sensação que temos quando tudo está a ruir. Não entendemos porque tudo está dando errado, com isso, fazemos perguntas das mais variadas a Deus e tentamos até algumas barganhas, mas geralmente sem sucesso, pois afinal Deus não precisa provar o seu poder, lembre-se de que o diabo pediu provas a Cristo, quando o tentou no deserto (Mateus 4:1-11), mas Cristo não provou, pois quem é não precisa provar.

A pergunta que eu mais me fiz nestes dias é por que Deus parece se calar quando passamos por períodos de sofrimento? Por que parece que estamos sozinhos, abandonados ante o caos?

O Sofrimento e as inúmeras perguntas me levaram ao livro de C. S. Lewis chamado o problema do sofrimento, neste livro tive as primeiras e poucas palavras de consolo e algumas poucas respostas. Lewis é ótimo em lidar com o sofrimento, o panorama e a sua visão do porquê sofremos me ajudou muito na época, embora não tenha respondido a todos os meus questionamentos, por isso que eu não consegui encerrar a minha busca. Logo no segundo capítulo Lewis resume bem o problema do sofrimento, ele sintetiza tudo o que eu ouvi de diversos sofredores e um pouco do que eu mesmo estava passando:

“Se Deus fosse bom, Ele desejaria tornar Suas criaturas perfeitamente felizes, e se fosse todo-poderoso, seria capaz de fazer o que quisesse. Mas as criaturas não são felizes. Portanto, a Deus falta a bondade ou o poder – ou ambas as coisas” (LEWIS, 2006, pg. 33)

Acredite, eu já ouvi muito isso de amigos, doentes e sofredores em geral, e confesso que sempre me calei ante estes questionamentos, principalmente porque eu não tinha resposta nem para os meus problemas, quem dirá para o dos outros. A resposta para a questão não é tão complicada, se torna ainda mais fácil hoje, onde eu enxergo o sofrimento de uma forma bem mais tranquila, apesar de que eu continuo não achando fácil.

Deus é bom, mas não força, não obriga o homem a olhar para ele. Por termos liberdade de escolha, o tal livre-arbítrio, acabamos por escolher sempre o mal, já que somos contaminados pelo pecado, e seguimos sofrendo. Por Deus amar, ele não força, com isso, sofremos porque não olhamos para Deus, por seguirmos egoístas e mesquinhos. O sofrimento aponta para Deus e mostra quem somos sem ele, é só através do sofrimento que conseguimos sair da nossa vida alienada e ver além de nós. Eu gosto de uma citação de Lewis do livro “O grande abismo” que eu uso muito, ele resume bem o problema do sofrimento e sintetiza as primeiras respostas da minha busca por explicação:

Só existe um único ser bom, e esse é Deus. Tudo o mais é bom quando olha para Ele e mau quando se afasta d’Ele. (LEWIS, 2006, pg. 70)

O homem sofre porque é primeiramente livre e depois por ser pecador, porque escolhe sempre se afastar de Deus e não percebe que não é nada sem ele, o quanto ele é mau e decaído sem Deus, o sofrimento é fruto destes homens maus.

O sofrimento aponta para Deus e mostra o que o homem é sem ele. Mas ele também nos tira da nossa zona de conforto, faz com que olhemos o próximo e aprendamos a nos dedicar mais a ajudar. Muitas coisas boas surgiram de quem sofreu ou viu alguém no qual amava muito, sofrer. É normal nos fecharmos em nós mesmos, o sofrimento faz com que olhamos para fora, que tenhamos outros olhos e outras atitudes.

Estas são as primeiras respostas, mas existem muitas perguntas, variáveis e casos que iremos ver no próximo capítulo, a minha busca não havia acabado, algumas respostas não são suficientes para quem sofre, por isso que este texto é só o primeiro.

BIBLIOGRAFIA

LEWIS, C. S, O Grande Abismo, Editora Vida, São Paulo, 2006

LEWIS, C. S, O Problema do Sofrimento, Editora Vida, São Paulo, 2006

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.