ESTUDAR OU NÃO ESTUDAR TEOLOGIA, EIS A QUESTÃO.

Depois de um dia de muito estudo e trabalho, fui ver meu e-mail e as minhas mensagens da minha rede social, quando eu me deparo com a seguinte frase: “Seminário ou faculdade teológica não forma pastores ao contrário, já vi desequilibrar muitos”. Por achar a frase interessante e muito verdadeira, resolvi complementar pontuando que “a falta de estudo teológico também desequilibra de igual forma”, o cara não gostou muito e tentou “refutar” o meu comentário de todas as maneiras, que foi mais um complemento do que um comentário. Eu por falta de tempo e ter muita preguiça de discutir, optei por escrever este texto como “resposta”, por acreditar ser mais útil.

A verdade é a seguinte, sim, seminário ou faculdade não forma pastores, o pastoreio é um dom e está aquém do estudo teológico, embora fazer uma faculdade seja fundamental para que o pastor tenha uma boa bagagem a fim de exercer o seu ministério. Veja bem, em uma faculdade teológica séria, o pastor terá ao seu dispor aulas e mentorias com mestres e professores que estudaram muito, sendo que uma boa parte deles, quando não todos, são pastores ou homens envolvidos no ministério. Imagine que rico para um pastor iniciante poder dialogar com gente que tem experiência com o ministério, isso é muito bom para quem está começando, ou para quem até exerce o pastoreio, mas ainda não teve oportunidade de fazer uma faculdade teológica.

Eu tive oportunidade de ter aulas com missionários e pastores que tinham muitos anos de estrada, além de terem mestrado e doutorado. As aulas me ajudaram muito, me deram a oportunidade de ampliar a minha visão, além de poder ter ferramentas ótimas para o pastoreio, de quem sabe muito bem do que está falando ou que possuem uma ideia muito mais ampla que a minha.

É claro que estudo teológico não define uma boa teologia, pois afinal, vai depender de muitos fatores para que isso fique claro, mas sabemos o quanto a falta de estudo teológico facilita para que muitas heresias surjam. É por conta de uma interpretação errada das escrituras que ensinos, dos mais escabrosos, têm surgido. Mas sim, estudo não é infalível, só estudar, não faz uma pessoa ser pastor e muito menos ser um bom cristão.

O liberalismo surgiu através de cristãos que estudavam e acabaram por pegar um caminho totalmente equivocado, conquanto a falta de estudo também tem feito isso. Por isso digo, não existe fórmula quando se trata de seres humanos pecadores, mas embora sabendo que não existe fórmula, eu ainda acredito que quando alguém estuda em uma faculdade séria, preocupada com o que ensina, ela vai ter frutos bem mais saudáveis do que aqueles que não estudam.

A parte interessante sobre este acontecimento foi quando ele tentou justificar o seu ponto de vista falando que os pais da igreja, que defenderam a fé cristã nos primeiros séculos como Agostinho, citado por ele, eram cristãos comuns, sem muito estudo. Uma afirmação que carece um pouco de estudo e fundamentação teológica, pois afinal, os pais da igreja e também os primeiros apologistas eram pessoas versadas em filosofia, retórica e história.

Na verdade, eles eram muito mais filósofos, do que teólogos propriamente dito. Por mais que as universidades tenham surgido muitos anos depois, pelo menos nos moldes que conhecemos hoje, as academias sempre existiram. Lembrando que a Academia de Platão foi fundada em Estagira por volta de 384 a. C. E o Liceu fundado por Aristóteles foi fundado por volta de 334 a. C. Isso só para citar estes dois nomes famosos.

É importante lembrar que o apóstolo Paulo era um homem de muito conhecimento, estava longe de ser um homem comum, sem muito estudo. Mas falando os primeiros apologistas. Justino Martir (100 – 165) foi um dos primeiros, ele era versado em retórica, história e poesia. Ireneu de Lion (130 – 200) foi um bispo e escritor com muito conhecimento. O mesmo podemos dizer de Orígenes (185 – 254) e Tertuliano (160 – 225) e muitos outros que vieram depois deles como Agostinho (354 – 430) e por aí vai (MCGRATH, 2005, p. 44,45,46)

O conhecimento nunca esteve desligado da igreja, estudar e ter uma vida santificada, nunca esteve separado. Mais sim, muitas heresias que foram combatidas pelos apologistas vieram de pessoas que também estudavam. O estudo nunca foi um caminho infalível para se ter uma vida cristã coerente, mas como a história nos mostra, quem defendeu a fé cristã também foi gente que estudava.

Resumindo, estudar é muito importante, e se você tem um chamado pastoral, o caminho mais coerente para esta importante etapa é estudar. É claro que não depende só disso, mas é um importante passo.

Você não sabe quantos frutos podem dar quando você ora, busca e também estuda. O estudo faz parte da vida de um homem espiritual e apesar de não ser infalível e sim, acabar desequilibrando muitos, a falta de estudo, aliado ao cargo de pastor, que dá muito status em alguns casos, também desequilibra, embora eu ainda acredite que o estudo é muito mais benéfico que maléfico.

BIBLIOGRAFIA

FLUCK, Marlon. Ronald. Teologia dos pais da igreja, Editora Cia dos Escritores, Curitiba, 2012.

MCGRATH, Alister, Teologia sistemática, histórica e filosófica, Uma introdução à teologia cristã, Shedd Publicações, São Paulo, 2005

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.