ORTODOXIA

Muitos torcem o nariz quando ouvem a palavra ortodoxia. E geralmente atribuem este conceito a pessoas chatas, legalistas e que não tardam em acusar os outros, porém, isso é um erro. Ortodoxia significa fé correta, ou exatidão Doutrinária (OLSON, 2004, Pg. 54) e geralmente serve para indicar qual igreja realmente segue os ensinos de Cristo ou não, pois a igreja que segue um ensino ortodoxo, com certeza, segue um ensino firmado na palavra.

Neste cenário de pluralismos religiosos, definir qual igreja realmente é cristã é um desafio. Você encontra todos os tipos de igrejas, com inúmeras interpretações Bíblicas, unções de tudo quanto é tipo, pastores extorquindo dinheiro e tudo quanto é barbárie vindo de pessoas que seguem a máxima: “cada um tem a sua maneira de interpretar a Bíblia”, o que já é uma conclusão complicada. Porém é aí que entra a ortodoxia, definindo quem realmente segue a Bíblia ou quem segue os ensinos de quem mal lê as escrituras.

É claro que muitas igrejas cristãs tem seus próprios manuais de ensino.  Algumas inclusive se dedicam a discipular e ensinar a palavra aos novos convertidos. Deixando assim muito mais remoto as possibilidades destes discípulos falarem heresias. Os luteranos possuem a confissão de Ausburgo, escrito por Lutero e seu assistente Melâncton. Os calvinistas o catecismo de Heidelberg. Os presbiterianos da Grã-Bretanha, o Catecismo Maior e Menor de Westminster (OLSON, 2004, Pg. 53). Sem contar com o Credo Apostólico e o Credo Niceno, escrito há muitos séculos, a fim de identificar os pontos importantes da fé cristã, para não deixar que o cristianismo vire falácias e teorias mirabolantes. Mas sabemos que infelizmente muitas igrejas não investem em ensino, gerando assim cristãos fracos e movidos por conceitos que de maneira alguma se encontram na Bíblia.

A grande verdade é que estas ferramentas mencionadas nem sempre são conhecidas pelo público cristão, sendo vista mais em igrejas históricas, que em igrejas novas. É por isso que ensinos estranhos e moveres não Bíblicos são visto aos montes nas igrejas. É também por isso que eu sempre digo, enfatizo e repito sempre, leia, se informe e busque ferramentas para entender e estudar a Bíblia. Pois ao contrário do que muitos dizem, sem estudo e intimidade com a palavra, não há o que fazer para se aprender com a Bíblia.

Entender a história da igreja, suas ferramentas e o que a tradição histórica da igreja ensina, é a certeza de uma fé um pouco mais madura, e é este o meu desafio a você, leia pesquise e entenda estas ferramentas todas disponíveis a igreja. Sem esquecer a principal máxima, você não precisa concordar com tudo. Mas ler estes materiais e entender, nunca é demais. Ser criterioso é importante e saber que nem tudo se aplica a nós também é fundamental.

Outra dica fundamental é “estar em uma igreja que incentiva o ensino”, afinal, pastores que não ensinam suas ovelhas, certamente as manipula, então fuja destes mercenários e procure algum bom lugar para frequentar.

A terceira dica tirei de uma reflexão do Ed René Kivitz: “Se você descobriu algo novo na Bíblia, certamente é heresia”. Veja bem, quando falamos de tradição e dos Pais da Igreja, falamos de um grupo de sábios que aprenderam os ensinos de Cristo com apóstolos ou discípulos de apóstolos. Eles tiveram mais intimidade, e tiveram muito mais perto da historia do que nós. Se eles, que estavam mais perto, não descobriram algo novo, nós certamente não descobriremos.

Mateus 22:29 diz: errais por não conhecer as escrituras. E esta é uma grande verdade para nossos dias. Portanto, ler e ser relevante, são atitudes que devem ser cultivadas. Não aceite ser manipulado, não fique calado ante aos moveres que não estão na Bíblia, isso é o que um cristão que conhece a doutrina faz.

Tudo o que se afasta da ortodoxia deve ser rejeitado, e tudo o que é coerente com o que a Bíblia ensina, deve ser guardado e seguido.

BIBLIOGRAFIA

OLSON, Roger, História das controvérsias na teologia cristã: 2000 anos de unidade e diversidade, Editora Vida, São Paulo, 2004

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.