JORNADA CRISTÃ: GRAÇA

Toda a caminhada tem o seu ponto de partida, a vida cristã não é diferente. Estudar, escrever, se aprofundar e conhecer faz parte da vida de um cristão centrado, a questão é que nem sempre foi assim.

Vim de uma tradição que ensinava que estudar não era tão importante, que o conhecimento era coisa do mundo. O verdadeiro cristão precisava apenas ler a Bíblia, e deixar que o Espírito Santo ensinasse. Com isso, inúmeras barbaridades eram vistas e consideradas como ação de Deus.

O tempo passou e a minha fé em Deus seguiu calcado em crenças e ensinos que soavam não só contraditórios a luz da própria Bíblia, mas também beirava a pura superstição. Muitos dos ensinos eram mesclados com falácias, crenças supersticiosas e careciam de uma base bíblica coerente.

Deus, no meu ponto de vista, era inalcançável, severo e cruel, e apesar de conhecer a palavra graça, eu mal entendia para o que servia, quanto mais citar onde estava na Bíblia.

Tudo mudou quando eu comecei a frequentar uma igreja no qual o ensino era uma de suas prioridades, sendo que aprender sobre a Bíblia e sobre teologia, e ser incentivado a ler a todo o tempo, foi uma das minhas maiores oportunidades. Dei os meus primeiros passos na teologia nesta igreja, sendo que muitos livros moldaram e me ajudaram na caminhada.

Por isso, nesta série de textos, vou abordar sobre os inúmeros autores que me acompanharam e me deram um norte em um período onde tudo era escuro e nebuloso. A intenção é abordar sobre toda a minha caminhada, terminando a série de textos nos livros mais densos e teológicos. Vale lembrar que os livros podem ser divididos em literatura teológica, que tem ensinos mais densos e literatura devocional, que apensar de ter teologia, é um pouco mais simples e diluído, próprio para leigos e iniciantes. Nesta minha jornada passarei por todos os estilos de livros, seguirei o caminho natural que eu trilhei, e pontuarei de forma clara o que considero importante em cada livro e autor.

Brennan Manning é um escritor no qual eu tenho uma grande consideração, foi ele que me ajudou em meus primeiros passos, foi com seus livros que entendi, de forma clara, o que era graça.

Basicamente a minha visão de Deus, antes de conhecer o autor, era de um Pai cruel, severo e totalmente sem paciência. Um Deus que estava sempre vigiando e pronto para punir, por isso, não podíamos sair da linha, caso contrário, a mão de Deus pesaria sobre nós. Foi no livro “A assinatura de Jesus” e depois no “Evangelho maltrapilho”, que dei os meus primeiros passos, e encontrei um oásis em momentos onde tudo era muito obscuro e pesado.

O autor fala da graça de uma forma muito alentadora, e o mais impressionante era que ele não se colocava como superior, o que era uma novidade para mim. No meio pentecostal do qual vim, o pastor era tido como superior, um servo de Deus intocável, ele nunca estava em nosso patamar, com isso, categorias eram bem visíveis na igreja. Mas quando este escritor discorria, ele se colocava como falho tal qual todos os homens, sendo que foi a sua sinceridade que me ajudou a entender quem sou e como buscar a Deus de forma verdadeira.

A parte mais impactante foi quando ele revelou em alguns de seus livros, o seu problema com alcoolismo. No livro “Deus o ama do jeito que você é” ele conta com detalhes toda a sua luta, e todos os equívocos que ele cometeu por conta do seu vício, mesmo sendo cristão, escritor e palestrante. Ele nunca escondeu nada, a sinceridade sempre foi a sua marca, coisa que me ajudou e me fez entender muita coisa.

Todos nós temos dificuldades, isso é normal, ser cristão é ser um lutador, é cair e se levantar, é falhar e continuar. No livro “O impostor que vive em mim” Brennan pontua algo fundamental sobre isso:

“Apesar de Deus não tolerar ou sancionar o mal, ele não retém seu amor por haver maldade em nós” (MANNING, 2007, p. 20).

Todos nós somos falhos, não somos super-heróis, somos seres humanos buscando alento em Deus, sendo que cada um tem os seus pontos fracos. No livro “A sabedoria da ternura o Brennan Manning pontua:

A violência com a qual alguns cristãos expõem suas convicções me faz pensar que eles estão tentando convencer a si mesmos. O espectro de sua incredulidade oculta com habilidade me assusta à medida que eles se tornam mais militantes e barulhentos. Quando esse mesmo medo passa a controlar as igrejas, elas se desintegram, tornando-se propagadoras de rituais formais ou agentes intolerantes de repressão. Sem um conhecimento íntimo e sincero de Jesus, os pregadores que lideram essas igrejas se assemelham a agentes de viagem distribuindo panfletos de lugares que nunca visitaram (MANNING, 2007, pg. 180)

O ambiente legalista no qual eu vivia, me ensinava que ser cristão é ser perfeito, que falhas não eram bem vindas, que o cristão não errava, o problema era que o erro era mascarado e a vida perfeita era pura hipocrisia de quem vivia apenas de aparência.

Com os livros do Brennan Manning aprendi sobre a graça de forma sincera e clara, entendi o que era ser cristão e consegui seguir vivendo uma vida muito mais leve e menos hipócrita.

Este foi o meu primeiro passo, vieram muitos outros, mas este foi fundamental para a minha caminhada. O amor de Deus transforma, a graça nos molda, nos nivela e faz com que a vida cristã não seja uma caminhada hipócrita.

BIBLIOGRAFIA

MANNING, Brennan, A sabedoria da ternura: o que acontece quando compreendemos e aceitamos o amor poderoso de Deus que transforma nossas vidas, Editora Palavra, Brasília, 2007

MANNING Brennan, O impostor que vive em mim, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 2007

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.