SÍNDROME DE ADÃO

Acho totalmente contraditório pessoas que se consideram superiores e autossuficientes. Aliás, acho inclusive ser uma atitude totalmente burra, afinal, desde que nascemos, somos dependentes.

A criança, por exemplo, é um dos seres vivos que mais fica com seus pais. Enquanto filhotes alcançam a independência em poucos anos, uma criança demora uns 20 anos, sendo que alguns, só serão completamente independentes depois dos 25 ou 30, isso quando são.

Não somos autossuficientes, o homem sem o dono do mercado, o funcionário que faz sua empresa andar ou os clientes que consomem e seu produto, não são nada. Mas nós não tardamos em tentar ser, ou mostrar que somos independentes, superiores e autossuficientes, desde o Éden fazemos isso. Preferimos dar ouvidos a serpente, que acreditar em Deus. Preferimos comer o fruto proibido e tentar seu igual ao criador ao invés de depender Dele (Gênesis 3):

“Eva mordeu a isca! A tentação de ser como Deus anuviou sua visão, e a simples mordida em um fruto teve sérias implicações no Reino de Deus” (LUCADO, 2005, p.152).

O problema do homem é tentar ser igual a Deus, é pensar que é eterno e infinito. Volta e meia esquecemos quem somos e mergulhamos em uma vida de mentira e autoengano. E eu não estou falando que não devemos tentar fazer o nosso melhor, nos prepararmos, nos dedicarmos para sermos bons no que fazemos. E sim que alguns fazem tudo para serem superiores em uma espécie de culto a exaltação pessoal:

“Mas há um abismo de diferença entre fazer o melhor para glorificar a Deus e fazer tudo para exaltação pessoal. A luta pela excelência é uma prova de maturidade. A busca pelo poder é infantilidade” (LUCADO, 2005, p.152).

O poder nos distancia de Deus, é uma busca vã e sem sentido, pois esta busca é um tanto quanto cega e irreal. A estrada de quem busca poder é a soberba, o caminho de quem se dedica ao poder é finito. Gosto de como Max Lucado exemplifica a busca por poder:

“Por favor, preste atenção ao que vou dizer. O poder absoluto é inatingível. O mastro que conduz ao topo é escorregadio, e os degraus da escada são feitos de papelão” (LUCADO, 2005, p.153, 154).

Quase no fim do ano de 2017 o furacão Irma devastou inúmeros países por onde passou. A Ilha de Barbuda teve 90% de suas casas destruídas, em outros países, inundações e destruições eram vistos aos montes e o homem não pode fazer nada. O poderoso país americano, que sofreu um bocado com o furacão, também teve que se calar diante de tal furor.

Quando eu vejo estas tristes calamidades, sem demora eu lembro de minha condição, e do quanto preciso de Deus. Confiar n’Ele é básico, entender que a busca por poder é uma busca infantil e pequena, que só nos leva a perdição é importante para não cairmos em velhos buracos. Gosto de como o livro: “O impostor que vive em mim” de Brennan Manning termina, nos traz uma boa luz a esta reflexão:

“Que todas as suas expectativa sejam frustradas, que todos os seus planos sejam atrapalhados, que todos os seus desejos sejam reduzidos a nada, que você possa experimentar a impotência e a pobreza de uma criança, e então cantar e dançar no amor de Deus que é Pai, Filho e Espírito” (MANNING, 2007, p. 13)

Este é um dos segredos para não cair na mesma armadilha que Adão e Eva caíram, esta é uma das formulas para nos mantermos com os pés no chão, não nos entregarmos a venenos tão antigos e seguir olhando para Cristo e sua graça.

Quando aproveitarmos o caos para termos dependência d’Ele. Ou olharmos os problemas e catástrofes e nos lembrarmos do quão fracos somos e o quanto precisamos de Deus, dificilmente nos consideraremos poderosos e assim seguiremos o caminho certo da dependência de Deus

Não adianta amigo buscar poder, pois o poder passa, o nosso tempo é finito, por isso não o desperdice. Tenha como prioridade o que te traz vida, o que é eterno o que a traça não corrói, isso sim vale a pena.

BIBLIOGRAFIA

LUCADO, Max, O aplauso do céu, Editora United Press, São Paulo,2005.

MANNING, Brennan, O Impostor que vive em mim, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 2007.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.