NÃO CONFUNDA TALENTO COM LÁBIA

“É fácil confundir lábia com talento” (CAIN, 2012, p. 52).

Vivemos em uma sociedade onde o marketing pessoal é muito mais importante que a própria competência. Com isso, temos inúmeros profissionais muito competentes em fazer suas autopromoções, mas péssimos em seus ambientes de trabalho. Enquanto outros não são tão competentes em se autopromover, embora sejam ótimos profissionais.

Eu sempre digo que nem sempre quem fala bem, entende bem um assunto. Alguns são ótimos comunicadores, contudo péssimos na área no qual estão falando ou ensinando. Um bom profissional sabe transitar entre a prática e a teoria com uma certa destreza. Contudo, já assisti palestrantes incompetentes, que entre os leigos, toda as suas bobagens eram vistas como verdade, tudo porque ele falava bem, isso é muito comum, assim como é comum acreditar que quem fala bem, domina o assunto, a verdade é que, nem sempre.

Você nem imagina quantas pessoas talentosas conheci por traz de um semblante tímido e introvertido. É libertador quando aprendemos a conhecer uma pessoa, quando conhecemos pelo que ele é, e não pelo que ela aparenta ser. É claro que compramos um livro pela capa, é normal ver e concluir, o que eu estou propondo com o texto é que precisamos aprender a conhecer uma pessoa não pela aparência, e sim pelo que ela é.

É evidente que temos que procurar nos desenvolver, que é importante aprendermos no comunicar e aplicar em nossas vidas as ótimas ferramentas do marketing pessoal ou da oratória. Eu não sou contra tais práticas, a minha crítica é que muitos não procuram desenvolver suas competências, e se escondem por trás de uma boa oratória, uma roupa bem alinhada ou um ótimo marketing pessoal. 

Em um ambiente de trabalho, e ainda mais se você tem um cargo de influência, é fundamental saber diferenciar uma pessoa da outra. O profissional competente, daquele que só tem lábia, que se aproveita dos outros ou que usa o subordinado competente para se autopromover.

Quem cultiva uma vida relevante, que estuda e procura ser melhor a cada dia, entende que a lábia, saber falar, não é tudo. É preciso entender que o constante aprimoramento é fundamental para que o seu trabalho frutifique.

Por isso, eu desafio você a olhar em seu entorno e procurar diferenciar quem realmente tem talento, daqueles que só falam, só tem lábia.

E não precisa ser só em um ambiente de trabalho, a reflexão cabe para vários âmbitos da vida e em vários locais de atuação. Não importa se é em sua igreja, com um colega da faculdade, entre tantas outras áreas. Em todos estes lugares estes dois tipos de pessoa estão presentes, com isso, é preciso estarmos atentos, para não sermos ludibriados.

Aprenda a diferenciar quem só sabe falar, das pessoas que têm um real talento, para que o seu empreendimento ou a sua igreja, não acabe tendo em sua linha de frente, pessoas incompetentes, que se parecem muito com profissionais, mas que não são.

BIBLIOGRAFIA

CAIN, Susan, O poder dos quietos: Como os tímidos e introvertidos podem mudar um mundo que não para de falar, Editora Agir, Rio de Janeiro, 2012

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.