JORNADA CRISTÃ 3: AS LINGUAGENS DO AMOR

No texto passado, eu falei do grupo de discipulado chamado Renovo, no qual eu participei quando era de outra igreja. Eu mencionei que neste grupo eu pude conhecer muitos ótimos autores, sendo que neste texto quero mencionar mais um que conheci neste período, chamado “Gary Chapman” e sua obra “As 5 linguagens do amor”, um livro que hoje é um pouco conhecido, mas que na época não era tanto, o conteúdo mudou a minha visão sobre relacionamentos.

É um desafio nos relacionar, seja como marido ou esposa, como amigo ou com familiares, nem sempre acertamos, sendo que o livro surge justamente com a proposta de fazer você entender a dinâmica dos relacionamentos.  

O autor trabalha com o fato que cada pessoa tem uma linguagem de amor. No livro, Gary discorre sobre 5 linguagens que seriam: Palavras de afirmação, tempo de qualidade, presentes, atos de serviço e toque físico. E pontua a importância de falarmos a linguagem de afirmação do próximo, e também incentivar o próximo a falar a nossa linguagem para que assim tenhamos relacionamentos saudáveis.

Por inúmeros motivos, cada um tem uma linguagem de amor, sendo que quando falamos em casamento, quase sempre o casal tem linguagens de amor bem opostas, o que acaba gerando desentendimentos e brigas.

O livro aponta para a importância de falarmos a linguagem de amor do cônjuge, e ele mostra que, por mais que busquemos amar o nosso cônjuge com a nossa linguagem, nem sempre ela vai entender aquele gesto como uma expressão de amor. E falando sobre casamento, Gary Chapman pontua algo fundamental, vale a pena acrescentar neste texto:

“Cada um de nós chega ao casamento com personalidades e históricos diferentes. Trazemos bagagem emocional para o relacionamento conjugal. Chegamos com expectativas diferentes, formas diferentes de encarar as coisas, e opiniões distintas sobre o que é importante na vida. Num casamento saudável, essa variedade de perspectivas deve ser tratada” (CHAPMAN, 2013, p. 176).

Amar é mais que uma paixão, é uma atitude, uma ação, sendo que em um casamento, entender e aprender a lidar com o próximo é fundamental. A questão não é concordar com tudo, mas aceitar as diferenças e aprender a resolver e a fazer concessões.

Hoje, seja em casa ou em qualquer outro ambiente, procuro sempre entender a linguagem da pessoa. Não somos iguais, temos que perder a mania de achar que o ser humano foi feito em uma linha de montagem, com características e maneiras parecidas. Somos únicos, com gostos e necessidades totalmente opostos. Saber disso, vai fazer de você um líder melhor, um pastor ou cônjuge mais assertivo.

Aprenda a falar a linguagem do próximo, entenda como é fundamental perceber como cada um é antes de ser um amigo, cônjuge ou um líder. Isso vai fazer a diferença em seus relacionamentos, não tenha dúvidas.

O livro mudou a minha vida, e virou uma das minhas bibliografias básicas sobre o assunto. Mas a caminhada continua, são muitos livros e autores, sendo que no próximo texto, abordarei um dos primeiros livros mais densos de teologia que eu conheci.

BIBLIOGRAFIA

CHAPMAN, Gary, As 5 linguagens do amor:  Como expressar um compromisso de amor a seu cônjuge, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 2013.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.