Resultados para tag "as-bem-aventurancas"

8 Artigos

O SERMÃO DO MONTE PT 8: OS PERSEGUIDOS

“Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, pois deles é o Reino dos céus”

“Bem-aventurados serão vocês quando, por minha causa os insultarem, perseguirem e levantarem todo tipo de calúnia contra vocês”

“Alegrem-se e regozijem-se, porque grande é a recompensa de vocês nos céus, pois da mesma forma perseguiram os profetas que viveram antes de vocês” (MT 5:10 ao 12)

Estas passagens são as últimas do que nós chamamos de “As Bem-aventuranças”. O Sermão do monte não acaba, mas as Bem-aventuranças sim. E o texto não podia ter um fechamento diferente, pois Cristo vai falar sobre perseguições.

O novo testamento nos mostra como as perseguições por pregarem a mensagem de Cristo foram muitas, cumprindo com o que o próprio Jesus havia dito neste mesmo versículo. Paulo foi preso, João escreveu o apocalipse preso na ilha de Patmos (Apocalipse 1:9). Pedro morreu crucificado (João 21:18), e a tradição nos diz que ele não aceitou sofrer como o seu mestre e acabou crucificado de cabeça para baixo. Tiago foi morto à espada (Atos 12:1-2). Seguidores de Cristo eram jogados em arenas com leões, enfim, muitos sofreram por levar o evangelho, estas pessoas aguentaram poucas e boas

 Esta última bem-aventurança é uma espécie de consolo para o que os discípulos iriam passar. Afinal, o sofrimento iria ser grande, mas a recompensa também seria

Existe uma verdade implícita nesta mensagem, a perseguição é um sinal de que a religião não é falsa (CHAMPLIN, 2014, p. 306). 1 João 3:13 diz:

“Meus irmãos, não se admirem se o mundo os odeia”

Ser cristão é estar na contramão, é constantemente sermos colocados na parede, sermos alvos de chacotas ou perseguições por tentarmos viver uma vida com Cristo, normal. Só resta saber se você entende esta dura missão. John Wesley acrescenta:

“Nessas escrituras fica claro quem são os perseguidos. Os justos são perseguidos. Aquele que é nascido do espírito é perseguido. Todos os que tentam viver piedosamente de acordo com Jesus serão perseguidos” (WESLEY, 2015, p. 103)

 Resta saber se você esta preparado, se você busca a Deus e estuda a sua palavra, se você é relevante e tenta fazer a diferença, pois se você assim o é, certamente sofrerá perseguições. Carlos Queiroz também acrescenta algo interessante:

“Desse modo, o sofrimento do discípulo é uma consequência de sua firme decisão de viver do bem contra o mal, de lutar pela justiça contra toda espécie de injustiça, de amar a despeito do ódio de muitos, de ser pacificador em meio a um cenário de guerra” (QUEIROZ, 2006, p. 107, 108)

E estes que fazem o bem, que são relevantes e verdadeiros, certamente são perseguidos. Quem não faz a diferença não incomoda, quem fica assistindo a injustiça encolhidos no canto nem é notado

Mas o texto diz felizes, bem-aventurados são os que são perseguidos. Pois são estes que são os relevantes, que estão fazendo diferença no mundo, levando a palavra e uma mão amiga às pessoas.

O reino de Deus não é de quem se encolhe, de quem tem medo e vira as costas para o seu chamado e sim de quem a qualquer custo tenta fazer a vontade do Pai. 

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, Rn. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 2012

NEVES, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

CARSON. DA. FRANCE , RT, MOTYER, J. A, WENHAM, G. J, Comentário Bíblico Vida Nova, Editora Vida Nova, São Paulo, 2012

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do Novo Testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

PESTANA, Álvaro César, Provérbios do Homem-Deus, Frases Poderosas de Jesus de Nazaré, Editora Vida Crísta, São Paulo, 2002

MCDOWELL, Josh, Aprendendo a Amar, Sexo Não é o Bastante, Editora Candeia, São Paulo, 2001

RICHARDS, Lawrence, Comentário Bíblico do Professor, Um Guia Didático Completo Para Ajudar no Ensino das Escrituras Sagradas do Gênesis ao Apocalipse, Editora Vida Acadêmica, São Paulo, 2013

HALLESBY, O. Oração, O segredo de abrir o coração, Encontro Publicações, Curitiba, 2011

258 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 7: PACIFICADORES

“Bem-aventurados os pacificadores, pois serão chamados filhos de Deus” (MT 5:9)

Quando alguém fala em pacificador eu logo lembro de Martin Luther King. Um homem que morreu lutando pelos direitos civis dos negros.

Um pacificador é alguém que promove a paz, que estabelece uma harmonia neste mundo cheio de discórdia. Porém a tradução de Eugene Peterson nos traz mais luz para entender versículo:

 “Abençoados são vocês, que conseguem mostrar que cooperar é melhor que brigar ou competir. Desse modo, irão descobrir quem vocês realmente são e o lugar que ocupam na família de Deus” (2012, p. 1382)

Promover a paz é algo que não vemos tanto hoje em dia, neste mundo competitivo, brigar é a lei, mostrar sua força e superioridade, algo corriqueiro. Afinal, mostrar clemência é coisa de fraco, não é isso que dizem por aí?

Mas ao contrário do que muitos creem um pacificado é um agente do reino, é alguém que desfaz uma confusão e prega a paz. Ao contrário do que muitas vezes vemos por aí, quando calvinistas discutem com arminianistas, ou reformados discutem com pentecostais.

Quando promovemos a intriga, deixamos de ser um pacificador aqui na terra e fazemos o que o inimigo há tempos tem tentado fazer que é dividir a igreja

Por isso, quando for expor uma ideia, não coloque como se quisesse plantar discórdia ou causar divisão e sim como forma de discutir pontos de vista e promover reflexões. Um pacificador não divide, um pacificador não gera discórdia, um pacificador lança as sementes do reino tendo sempre em mente que não somos chamados para competir e sim para colaborar

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, Rn. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 2012

NEVES, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

CARSON. DA. FRANCE , RT, MOTYER, J. A, WENHAM, G. J, Comentário Bíblico Vida Nova, Editora Vida Nova, São Paulo, 2012

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do Novo Testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

 

205 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 6: OS PUROS DE CORAÇÃO

“Bem-aventurados os puros de coração, pois verão a Deus” (MT 5:8)

Uma dos significados que o dicionário nos dá para a palavra pureza é: “Genuinidade” (Dicio). E sobre ser genuíno, nestes nossos dias de corrupção na política, igreja ou sociedade, onde muitos, por trás de suas máscaras, escondem quem realmente são, só me resta pedir a Deus misericórdia

Puros de coração diz respeito aqueles que foram tocados por Cristo, que deixaram Ele entrar e foram purificados de todos os maus intentos

“A interpretação popular considera a pureza de coração como uma expressão de pureza interior, a qualidade daqueles que foram purificados da imundície moral, em oposição à imundície cerimonial” (STOTT, 1982, p. 38).

Puros de coração são os que se afastam do mal, que tem plena consciência de quem são, e do quão falhos são. Salmos 51:10 diz:

 “Cria em mim, ó Deus, um coração puro, e renova em mim um espírito reto”

Este Salmo é um grito de arrependimento de Davi, depois que ele se deitou com a mulher de Urias o heteu. O texto diz que Davi se arrependeu de seu atos e Deus o perdoou

Eu admiro a história de Davi, pois ele era um homem falho igual a nós, cheio de erros e exageros, mas tinha um coração quebrantado e não demorava em se arrepender de seus atos e pedir perdão

Um dia um amigo budista começou a me explicar um pouco da filosofia budista. E ele disse que nós temos que buscar forças interiores, para sermos cada vez melhores e assim evoluirmos.

No que ele terminou de falar eu perguntei, olha lá fora para as pessoas, seus comportamentos, suas atitudes com o próximo e me diga se realmente o homem tem alguma bondade interior ou alguma capacidade de buscar isso por si mesmo?

Não estou falando que o homem não pode ser bom e sim que nós somos manchados pelo pecado e dentro de nós, em nosso coração, não há nada de bom que pode vir de lá. Eu gosto de uma citação de Lewis que explica muito bem isso:

“Só existe um único ser bom, e este é Deus

Tudo o mais é bom quando olha para Ele e mau quando se afasta d’Ele” (LEWIS, 1986, p. 70)

Só Deus é bom, só há pureza n’Ele, o bem só vem d’Ele e um puro de coração sabe muito bem disso.

Feliz é o puro de coração, o que sabe de sua condição e não é hipócrita, fingindo o que não é, pois ele verá a Deus

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, Rn. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 2012

NEVES, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

CARSON. DA. FRANCE , RT, MOTYER, J. A, WENHAM, G. J, Comentário Bíblico Vida Nova, Editora Vida Nova, São Paulo, 2012

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do Novo Testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

PESTANA, Álvaro César, Provérbios do Homem-Deus, Frases Poderosas de Jesus de Nazaré, Editora Vida Crísta, São Paulo, 2002

MCDOWELL, Josh, Aprendendo a Amar, Sexo Não é o Bastante, Editora Candeia, São Paulo, 2001

LEWIS, C. S, O Grande Abismo, Uma Viagem Fantástica Do Inferno Para As Proximidades Do Céu, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1986

https://www.dicio.com.br/pureza/

119 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 5: MISERICÓRDIA

“Bem-aventurados os misericordiosos, pois obterão misericórdia” (MT 5:7)

 

Eu fico muito admirado quando vejo alguém dedicar sua vida a cuidar dos outros. Tenho amigos médicos, enfermeiros, pastores enfim, muitos dos mais gabaritados que se dedicam a tratar do povo.

Misericórdia segundo o dicionário é: Compaixão, piedade, sentimento de pesar ou compaixão solícita por alguém, no dicionário grego o significado é o mesmo. E nos traz a mente um cristianismo muito mais prático do que vemos hoje

A misericórdia evoca algumas conclusões parecidas com ao da Justiça, conforme lemos no texto passado. Pois ao mesmo tempo em que a misericórdia é algo que vem de Deus, afinal só Ele é verdadeiramente misericordioso. Um cristão tocado por Deus, também deve ter esta característica. John Wesley acrescenta algo interessante sobre este versículo:

“A palavra “misericordioso”, empregada por Jesus, indica os bondosos, os que têm compaixão. O resultado imediato é que os misericordiosos choram sinceramente por aqueles que não tem fome de Deus. A parte excelente do amor fraternal está aqui. A misericórdia, no pleno sentido do termo, é amar o próximo como você se ama” (WESLEY, 2015, p. 86)

E isso me faz lembrar de alguns pregadores de rua da minha cidade. Muitos deles tem um costume de pregar apontando o dedo e acusando as pessoas que passam. Eu acho isso inútil.

Eu sempre digo que o evangelho é boas novas, é um chamado ao arrependimento e a mudança de vida. Mas acima de tudo, quando seguimos a Cristo, temos que ter a consciência que ele foi gracioso conosco, mesmo nós merecendo a morte, Jesus nos deu uma chance, diante disso temos que agir igual (ou tentarmos)

Ser misericordioso é também ter plena consciência, é ter uma vida de gratidão, e esta gratidão nos devolvemos ao próximo através de palavras de graça e de amor. Não estou com isso mascarando o que a Bíblia fala sobre o inferno, julgamento ou a nossa prestação de contas. Apenas quero enfatizar que assim como Deus foi gracioso conosco, devemos ser também com o próximo. Eugene Peterson traduz este versículo de uma forma genial:

“Abençoados são vocês, que se preocupam com o bem-estar dos outros. Na hora em que precisarem de ajuda, também receberão cuidado” (2012, p. 1382)

Quem foi tocado pela graça de Deus retribui ao próximo com o mesmo amor, um cristão transformado não odeia o próximo, e nem se sente em uma posição privilegiada. João 4:7-8 diz que devemos amar uns aos outros, porque o amor vem de Deus, e se você não ama, provavelmente não conhece a Deus

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, Rn. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 2012

NEVES, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

CARSON. DA. Comentário bíblico vida nova. SÃO PAULO – SP, EDITORA VIDA NOVA, 2012

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do Novo Testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

PESTANA, Álvaro César, Provérbios do Homem-Deus, Frases Poderosas de Jesus de Nazaré, Editora Vida Crísta, São Paulo, 2002

MCDOWELL, Josh, Aprendendo a Amar, Sexo Não é o Bastante, Editora Candeia, São Paulo, 2001

134 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 4: JUSTIÇA

“Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, pois serão satisfeitos” (MT 5:6)

 

Justiça é uma palavra muito usada hoje em dia, por conta das roubalheiras e da palhaçada que temos visto na política.

O grande problema é que no Brasil estamos tendo carências de exemplos de pessoas que querem viver e fazer o certo pelo certo, sem a intenção de ganhar algo e são destes que o texto fala.

Eu só tenho um impasse quanto a este versículo, a explicação desta bem-aventurança não é unânime entre teólogos. Pois alguns vão falar que esta justiça que o versículo fala é Deus, outros que é justiça mesmo, algo prático. E a palavra em grego não nos da muita explicação.  

Justiça (dikaiosuné) no grego significa: Ato de fazer o que Deus quer ou exige, fazer o que é certo, exigências da religião, e existe a possibilidade de ser também dar esmolas. (LOW, NIDA, 2013, 474, 662), o que nos deixa na dúvida. O texto está falando de algo prático, ou espiritual?

Penso que deve ser os dois não acha? Pois quando você busca a Deus, o senhor da justiça, o único justo, o único que nos justifica e é perfeito, estes  frutos devem ser visíveis a todos, não acha?

Se a nossa vida com Deus ou a nossa busca, não traz mudanças externas, nós não mudamos de verdade. Com isso, quando buscamos a justiça ou as coisas espirituais, não só o nosso interior muda, mas o exterior também e exigir justiça, ajudar o próximo e ser mais solícito é o mínimo que temos que ter em nossa vida. Carlos Queiroz faz uma pontuação importante sobre esta fome e sede:

“Jesus usa uma imagem bastante forte para ilustrar a gana do discípulo pela justiça: fome e sede. O espírito do discípulo alimenta-se da justiça com a mesma gana que o corpo tem por água e pão. O desejo de justiça, na vida do discípulo, funciona como um apetite, existe com naturalidade, vem das entranhas.

A falta de apetite pela justiça pode ser um sinal de enfermidade espiritual” (QUEIROZ, 2006, p. 81)

Quando dentro de nós não arde o coração por um mundo melhor, por ajudar ao próximo, por ver a justiça acontecer, temos problemas. Mas a grande questão é: A verdadeira justiça vem apenas de Deus.

Ser justo é também ser um buscador do Deus da justiça. Quem tem esta fome, só poderá ser saciado de verdade por Deus, porém quando falamos de algo prático eu logo lembro para parábola do Devedor Implacável lá em Mateus 18: 23-35

O texto diz que um senhor, depois de ouvir a súplica do seu servo, perdoou uma dívida milionária, equivalente a mais de trezentas toneladas de ouro. Aquele servo, certamente aliviado depois de receber tal perdão, não teve a capacidade de perdoar uma dívida minúscula de um de seus companheiros de servidão.

Nós somos salvos pela graça, mediante um favor imerecido e o mínimo que devemos ser, diante desta dádiva maravilhosa que recebemos de Deus é  compassivos, generosos e amorosos.

Afinal, só Ele é justo, mas quando temos fome d’Ele o nosso exterior e a nossa vida reflete este relacionamento.

Eu sei que não somos perfeitos, que temos a nossas falhas, mas quem busca a Deus e tem uma vida com Ele tem marcas visíveis, frutos de um relacionamento verdadeiro com Deus que sem dúvida se estende ao próximo

Uma arvore de maçã não dá pera, assim também um discípulo do Deus de justiça não é injusto e é só este verdadeiro discípulo que será satisfeito.

 

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

NEVS, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

CARSON. DA. Comentário bíblico vida nova. SÃO PAULO – SP, EDITORA VIDA NOVA, 2012

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do novo testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

192 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 3: HUMILDADE

 “Bem-aventurados os humildes, pois eles receberão a terra por herança” (MT 5:5)

Eu fui um cara muito irritado quando novo, tudo me incomodava e eu explodia com qualquer coisa. Pense agora, ou tente imaginar, quanta oportunidade eu perdi por conta da minha falta de paciência e controle. Eu cheguei a acabar com a primeira banda que eu montei, que inclusive estava indo muito bem, por conta de ter perdido a paciência com algo pequeno. Diante disso, foi inevitável eu aprender a ser mais paciente, com mais autocontrole e mansidão. Por que estou falando isso? Porque a palavra humilde pode também ser traduzido por manso, gentil ou suave

O interessante é que quando alguém fala de mansidão, eu penso logo no exemplo perfeito que Cristo nos deu, registrado lá nos quatro evangelhos. É curioso como o homem mais poderoso que pisou aqui na terra, foi também manso e humilde. E isso em uma terra que prega que homem de verdade é forte, atrevido e guerreiro. Jesus veio e provou o contrário. E com a sua mansidão e pulso firme, bateu de frente contra os legalismos da religião e mostrou as pessoas o que é ser gente.

Ser manso é não se deixar abalar pelas coisas externas, ser humilde é enxergar o próximo como uma pessoa falha que ela é, e aceitar suas limitações, tal qual nós temos:

“A mansidão é, em essência, a verdadeira visão que temos de nós mesmos, e que se expressa na atitude e na conduta para com os outros” (STOTT, 1982, p. 33).

O humilde é aquele que sabe quem é, que entende que todos erram. Conhecer-nos, revisarmos nossas falhas e tentar ser mais humano é ter plena consciência de nossas mazelas

Eu comecei o texto falando que eu acabei com uma banda, por conta da minha falta de paciência. O que tinha ocorrido na verdade é que eles tinham esquecido de me avisar que não tinha ensaio, isso me deixou muito brabo,pois eu tinha ido ensaiar direto do trabalho e estava cansado. E quem me conhece sabe que eu não me atraso, sou chato com horário.

Só que curiosamente, quando eu remontei esta mesma banda tempos depois, também acabei esquecendo de avisar uma pessoa que não tinha ensaio e o que a pessoa fez? Esbravejou tal qual eu fiz? Não, ela foi muito compreensiva, e isso me envergonhou

Ninguém é perfeito, nenhum ser humano está isento de errar, e ser compreensivo com o próximo é ser compreensivo também consigo por tabela

O texto diz que só recebe a terra por herança quem sabe esperar, quem é paciente e entende o próximo. 

O texto também diz que o homem feliz é humilde, porque sabe quem é e não demora em compreender e em amar por entender a si mesmo e as suas falhas

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do novo testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

NEVS, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

 

3 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 2: LAMENTO

“Bem-aventurados os que choram, pois serão consolados” (MT 5:4)

Continuando a nossa reflexão sobre o sermão do monte, neste versículo Jesus diz que feliz é quem chora. No grego a palavra choro (pentheó) significa lamento, choro ou um pranto que decorre de maldade e opressão (LOW, NIDA, 2013, 273)

Quem nunca se sentiu desamparado, perdido, sentindo que Deus não mais o ouve?

Quem nunca se sentiu abandonado, no deserto, sem saída?

Esta bem-aventurança é para estes abandonados, cansados e no deserto. É para quem pensa estar sozinho e desamparado.

 John Wesley explica de forma magistral este versículo:

“Ele se refere aos que choram por Deus. São aqueles que perderam a alegria espiritual que já tiveram um dia. Eles perderam o poder perdoador de sua palavra e não sentem o sabor do mundo bom que está por vir. Agora Deus parece esconder deles a sua face, e eles têm problemas” (WESLEY, 2015, p. 74)

 Eu não sei se você já passou pelo deserto, já sentiu que a sua oração não passava do teto e teve a impressão que Deus não estava te ouvindo, aliás, que Ele tinha mais coisa a fazer do que te ouvir, eu já passei por isso.

Ao sair de minha antiga igreja, eu deixei que o desânimo tomasse conta da minha vida. Eu não entendia o porquê tudo estava dando errado, nestas horas a dúvida me consumia.

Quem sabe você esteja sofrendo perseguições por conta de ser Cristão e não entende porque parece que Deus não intervém, que a injustiça está sempre em sua cola, mas a paz e a justiça de Deus não.

Se você se encaixa neste perfil, tal qual eu me encaixei, o texto diz que você é um bem-aventurado, afinal, você será consolado

Ser cristão não é fácil colega e muitas vezes não entendemos esta escuridão toda, porém uma coisa eu posso falar, Deus não tarda em intervir.

Nós não escolhemos sofrer a vida já nos trás o sofrimento de graça, mas podemos escolher nos manter firmes, confiantes, crendo que Jesus vai nos consolar. Eu gosto da tradução de Eugene Peterson neste versículo:

“Abençoados são vocês, que sofrem por terem perdido o que mais amavam. Só assim, poderão ser abraçados por aquele que é amor supremo” (2012, p. 1382)

Eu não sei o que você perdeu ou porque se sente abandonado ou inútil, eu só sei que o consolo sempre vem, é só você se manter firme e buscar a Ele. Eu sempre digo que confiar é largar o controle, e crer que Cristo está no comando, mesmo que Ele não pareça estar.

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do novo testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

NEVS, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

 

42 visualizações

O SERMÃO DO MONTE PT 1: AOS QUE NADA TÊM

Bem-aventurados os pobres em espírito, pois deles é o Reino dos céus” (MT 5:3)

 

Faz um bom tempo que eu queria estudar o sermão do monte. Sua coleção de ensinos e a sua narrativa me fascina.

Estes ensinos são uns dos mais importantes da Bíblia, e Mateus registrou no capítulo 5 a 7, a fim de que entendêssemos como Cristo queria que nós, seus imitadores vivêssemos.

Este é o primeiro versículo do conhecido Sermão e estudar sobre eles é adquirir um tesouro de valor inestimável:

“O “sermão” constitui a primeira e a mais longa das cinco seções, em que Mateus reúne o ensinamento do Senhor. Jesus indica a seus seguidores como se deve viver: não simplesmente em conformidade com uma série de normas, mas revolucionando por dentro a própria atitude e a própria mentalidade” (Alexander, 1985, p. 477)

O texto é conhecido por este nome pois o versículo 1 diz que quando Cristo viu a multidão e seus discípulos se aproximarem, ele subiu em um monte. Provavelmente para ficar a uma altura adequada para falar aquela multidão. Vale lembrar que os apóstolos não haviam sido escolhidos ainda, apenas no capítulo 10 vamos descobrir quem eram os doze. Com isso, entendemos que estes discípulos eram seguidores de Jesus (NEVES, 2012, p.53)

O versículo 3 começa falando Bem-aventurados ou felizes, os pobres de espírito (ptóchos), que no grego significa:

“Alguém que é humilde com respeito a suas próprias capacidades. […] Felizes os que são humildes diante de Deus […] Felizes os que reconhecem que precisam de Deus” (LOW, NIDA, 2013, p. 666)

Vivemos em uma época onde o orgulho é coisa corriqueira, confessar dependência, pregar que somos dependentes de Deus e que não somos nada sem Ele, é um tanto quanto estranho

Até a igreja cristã tem se rendido a este pensamento, declarando que um crente tem que estar por cima, um cristão é filho do rei, por isso, deve ser próspero. Ou como ouvi em um ônibus estes dias: “Ser cristãos é ser próspero”, como se esta frase fosse verdadeira

Uma boa lida nos evangelhos vamos ver que Cristo nos convida a ajuntar tesouros no céu, ele nos convida a dar prioridade a Ele e não ao dinheiro.

Esta primeira bem-aventurança nos da um aviso: “Só é feliz quem tem certeza de que não é nada sem Deus”

Não é um convite a ser um pobre esfarrapado e sim a ter certeza de quem realmente somos e de quem nós realmente precisamos depender. É um convite para ajustarmos nossas prioridades. John Stott faz uma pontuação interessante sobre este versículo:

“Assim, ser “humilde (pobre) de espírito” é reconhecer nossa pobreza espiritual ou, falando claramente, a nossa falência espiritual diante de Deus, pois somos pecadores, sob a santa ira de Deus, e nada merecemos além do juízo de Deus” (STOTT, 1982, p. 28)

O ponto principal do conceito ser cristão é o arrependimento, é entender que somos pecadores e não somos nada sem Cristo

Esta primeira bem-aventurança é uma importante afirmação, o reino dos céus é de quem realmente depende de Deus e entende a sua condição e não de quem é orgulhoso e autossuficiente.

 

BIBLIOGRAFIA

Bíblia Sagrada – Bíblia de Jerusalém; Paulus, São Paulo, 2013

PETERSON, Eugene H, A Mensagem, Bíblia em linguagem contemporânea, Editora Vida, São Paulo, 2012

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

PETERSON, Eugene, Bíblia a Mensagem, Editora Vida, São Paulo, 2013

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do novo testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

STOTT, John, Contracultura Cristã, A Mensagem do Sermão do Monte, Editora ABU, São Paulo, 1982

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2015

QUEIROZ, Carlos, Ser é o Bastante, Felicidade à Luz do Sermão do Monte, Editora Encontro, Curitiba, Editora Ultimato, Minas Gerais

RIENCKER, Fritz, Evangelho de Mateus, Comentário Esperança, Editora Esperança, Curitiba, 1998

NEVS, Itamir, Comentário Bíblico de Mateus, Através da Bíblia, RTM Publicações, São Paulo, 2012

TASKER, R. V. G, Mateus, Introdução e Comentário, Editora Mundo Cristão, São Paulo, 1991

 

6 visualizações