Resultados para tag "dificuldades"

5 Artigos

SUBESTIMADO

Eu me emociono muito com um vídeo de um concurso de talentos na Inglaterra, onde dois jovens, um menino e uma menina, depois de serem subestimados por todos, mostram sua voz e deixam todos de queixo caído. E a história do menino é ainda mais drástica. Cheio de timidez, ele revela que por conta de ser obeso era humilhado por todos, isso gerou em si uma insegurança sem tamanho. Felizmente, eles se saíram bem e conseguiram mostrar o seu valor. O problema são os muitos com histórias parecidas que estão escondidos, sem chances ou oportunidades de mostrar seu talento ao mundo

Uma realidade sobre a vida que temos que entender é que nem tudo o que planejamos dá certo, nem sempre nosso projeto vai ser encarado com bons olhos por todos e muitas das vezes seremos subestimados, colocados de lado até por amigos, relaxe, é assim mesmo.

Estudamos dia e noite para ganharmos um pouco melhor e muitas vezes isso não acontece, você se esforça para ser um bom funcionário e muitas vezes não é reconhecido pelo seu chefe. Ou planeja um empreendimento que tem tudo para dar certo, mas que acaba não dando. E quando isso acontece a pergunta é sempre a mesma: O que eu faço?

Conselhos de amigos bem intencionados não faltam, livros e materiais de autoajuda lotam as prateleiras, só que o sentimento de frustração e desânimo não passa.

Alguns falariam que todo o fracasso é uma oportunidade para recomeçar da maneira certa. O conselho até que não é ruim, mas muitas vezes este recomeçar é impossível. É um problema quando ganhamos experiência, mas perdemos o tempo, afinal tempo não volta não é? Outros diriam que a frustração é um ótimo professor, o que não é errado, pois muitos aprendem só quebrando a cara. Mas talvez o que o fracasso nos traga que serve como uma ótima lição é a empatia, ou seja, a capacidade de nos colocar no lugar do outro.

Quem perdeu um filho sabe muito bem o timbre da dor. Quem já passou fome, sabe perfeitamente onde a barriga dói. Quem já foi passado para trás, entende a frustração de se sentir um idiota e quem nunca foi valorizado sabe a dor de se sentir incapaz, sem ação ou sem saída. Romanos 12:15 diz:

“Alegrem-se com os que se alegram; chorem com os que choram”

O texto fala da importância de amar o próximo, para não termos amor fingido, odiando o mal e seguindo o que é bom (V9). Aconselha-nos a amar uns aos outros (V10), repartir (V13), e para pedir a Deus que abençoe quem nos persegue (V14) até chegar no versículo 15, na importância de se ter empatia, Carson acrescenta algo importante sobre este versículo:

“O envolvimento empático com as alegrias e sofrimentos dos demais cristãos é a marca do amor sincero para com irmãos e irmãs (CARSON, 2012, Pg. 1733)”

Empatia é a capacidade de se colocar no lugar da pessoa, de compreender o sentimento e a reação. E nada melhor que o sofrimento ou o fracasso para ensinar o que isso significa. Cristo mesmo sendo Deus encarnou, sentiu a limitação humana em sua própria pele, entendeu o gosto da pobreza, fome, descaso e miséria. E nos entende por ter vivido tudo isso:

O único Deus em quem eu creio é aquele que Nietzsche, filósofo alemão do século 19, ridicularizou, chamando-o de Deus sobre a cruz. No mundo real da dor, como adorar a um Deus que fosse imune a ela? (STOTT, 2004, Pg. 67)”.

 Este é o nosso Deus, que também sofreu e entende o que sentimos.

Não quero com isso defender a ideia que todos devem sofrer, e muito menos que Deus nos faz fracassar para aprendermos esta lição. E sim que muitas vezes nos concentramos tanto em nossas coisas, que esquecemos o próximo. Focamos tanto no alvo que viramos egoístas, e o fracasso nos faz cair ao chão para vermos o mundo de outra perspectiva.

O fracasso é um ótimo professor, o sofrimento, uma oportunidade de buscar a Deus, porém o fracasso nos faz humanos, os problemas nos deixam sensíveis a dor, as lágrimas, ao próximo e a um mundo que muitas vezes não vemos a nossa volta.

 

BIBLIOGRAFIA

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

CARSON. DA. Comentário bíblico vida nova. SÃO PAULO – SP, EDITORA VIDA NOVA, 2012

STOTT, John, Por Que Sou Cristão, Editora Ultimato, Minas Gerais, 2004

8 visualizações

BOAS NOVAS

Uma vez ouvi que para haver mais conversões, deveríamos pregar mais sobre o inferno. Na mesma hora eu pensei, ué, o evangelho não significa boas novas? E boas novas não se referem a boas notícias? Como vamos sair pregando notícias ruins? John Piper da uma ótima definição de como deve ser a nossa mensagem ao mundo:

“As boas-novas não dizem que o inferno, a morte, o pecado e o sofrimento não existem. As boas-novas afirmam que o próprio Rei veio, e esses inimigos foram vencidos, e, se crermos no que Ele fez e promete, escaparemos da sentença de morte, veremos a glória de nosso libertador e viveremos com Ele para sempre (PIPER, 2011, PG 22)

Às vezes eu acho que muitos pastores vivem a vida do oito ou oitenta. Quando não pregam que ser cristão é ter poder ou dinheiro, anunciam uma vida de medo e repressão. 1Jõao 4:18 diz:

“No amor não existe receio; antes, o perfeito amor lança fora todo medo. Ora, o medo pressupõe punição, e aquele que teme não está aperfeiçoado no amor”

O evangelho não aprisiona, não joga fardos, não condena, mas anuncia uma nova vida, uma vida de restauração e fé em Deus. John Wesley, tem uma ótima explicação deste versículo de 1João:

“Esperamos ser aperfeiçoados no amor. Esta perfeição lança fora todo o medo doloroso e todos os desejos, exceto aquele de glorificar Deus a quem amamos e amá-lo e servir-lhe mais e mais (WESLEY, 2000, PG 52)”

É isso que é boas novas, é este evangelho que devemos pregar, ou seja, a palavra da regeneração. O medo, não causa mudança, o medo, nos faz agir por coerção ou buscar a Deus esperando algo em troca, com medo de ir para o inferno. E ser cristão não é ser apenas uma pessoa que não vai para o inferno, mas uma pessoa que glorifica a Deus em todos os seus atos. É o que ama o próximo independente de tudo, e tenta ou pelo menos se esforça, em ser diferença. Cristo disse que veio nos trazer vida e vida em abundância (João 10:10), e este versículo é interessante, porque em grego vida significa: Vida eterna, ou vida verdadeira, que nunca chega a um fim (LOUW, NIDA, 2013, PG 235). Vida verdadeira nos dá a entender que a nossa vida não é verdadeira, o que vivemos é falso é uma mentira. Adão quando desobedeceu a Deus escolheu viver uma vida falsa, viver sem Deus não é viver, seguir os nossos conceitos, não é viver. E boas-novas é justo isso, viver uma vida verdadeira em Cristo, é está a pregação que esta faltando, é ela que devemos fazer. Se arrependam, olhem para Cristo, porque quem vive sem ele, não vive, já esta condenado por suas escolhas e seus dedos sujos.

As boas novas é um chamado a reconciliação, um chamado para voltarmos a seguir o Pai e abandonarmos os nossos conceitos falhos, e viver uma vida real aqui na terra, é sermos retos, íntegros e fiéis a palavra. Muitos pregam a palavra do futuro, do vamos estar no céu, do fugir do inferno, mas a palavra aponta para o agora, em viver em nosso tempo uma vida correta o resto é consequência.

 

 

BIBLIOGRAFIA

PIPER, John, Deus é o Evangelho, Editora Fiel, São Paulo 2011

WESLEY, John, O Sermão do Monte, Editora Vida, São Paulo, 2000

LOUW, Johannes, NIDA, Eugene, Léxico Grego-português do novo testamento, Sociedade Bíblica do Brasil, São Paulo, 2013

CHAMPLIM, RN. O Novo Testamento interpretado Versículo a Versículo, Editora Hagnos, SÃO PAULO, 2014

9 visualizações

FORTE

Sempre ouvi dizer que a pessoa forte é centrada, não perde o controle e nem age por impulso. O problema é que muitas vezes é impossível ser assim. Principalmente quando tudo dá errado, você é ignorado e esquecido. Mas temos que ser fortes e ainda engolirmos em seco, para não corrermos o risco de desabafar e magoarmos a pessoa errada ou acabar piorando ainda mais a situação. Porém tem uma coisa que me mantém forte e disposto a seguir e passar por todos os problemas; o exemplo de Cristo.

Ele foi o Deus encarnado, o verbo que se esvaziou e se entregou por amor a nós. Este verbo serviu, este Deus se doou e aguentou escárnio, este todo poderoso viveu a vida para fazer a vontade do pai  e isso me da certo conforto. Pois o que eu faço é para a glória D’ele e é somente isso que me mantém tranquilo nestas situações. Paulo em 2Coríntios 12: 10 diz:

Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte

Paulo dispensa apresentações, este homem foi o pensador mais relevante e uma pessoa tremendamente usada por Deus. E neste texto em questão, ele conta que três vezes  pediu uma cura ao senhor, por causa de um espinho na carne, mas Deus não quis curar e ainda falou que aquele espinho era para manter a sua pessoa humilde (2Coríntios 12:7-10)

Ninguém gosta de passar por decepções, muito menos gosta de ser esquecido e jogado de lado. Mas certas situações têm que produzir em nós mudança e amadurecimento. Vivemos em um mundo onde o sofrimento é comum, está inserido em nosso cardápio da vida. Habitamos em um lugar onde ser esquecido é uma rotina. Pois temos os nossos sonhos, temos a nossa falta de tempo e nossos objetivos e muita das vezes o nosso amigo ao lado não esta incluído nestes projetos todos, ou nos esquecemos deles, por pura distração, acontece

Só quem passou por estas dores pode realmente sentir o sofrimento do próximo e entender a sua situação. Só quem foi esquecido ou desvalorizado consegue se colocar no lugar do outro e ajudar. Pois o sofrimento tem que nos causar sensibilidade, deve mover a nossa vida para olhar o próximo e ser humildes. Não é fácil, eu sei, não é mesmo, mas quem disse que tudo na vida seria fácil?

No entanto o sofrimento tem outra função, nos fazer enxergar quem realmente esta ao nosso lado. As vezes não valorizamos certas pessoas, mas acaba sendo elas, mesmo sendo poucas, que nos prestam auxílio e nos acompanham nas piores horas. Mário Sergio Cortella em uma palestra diz algo curioso: O amigo em um período difícil, nem sempre nos consola, mas sempre conforta. Provérbios 17:17 diz:

“Em todo o tempo ama o amigo e para a hora da angústia nasce o irmão”

Gosto deste versículo, porque ele deixa claro que é em nosso período mais difícil que enxergamos quem realmente se preocupa conosco.

Contudo, mesmo com estas palavras sinceras, de quem já passou por maus bocados, se viu esquecido por muitos e decepcionado, você não se convença do sofrimento e de seus períodos difíceis. Nada mais natural, há tempos em nossa vida que nenhuma resposta é resposta e acabamos seguindo na caminhada com mágoas, tristezas e decepções. Só não gosto de pensar que você, que esta passando por um período ruim e está inconsolável, é um perdedor, um Zé ninguém. Penso que na vida tudo colabora para o nosso crescimento e encarar o sofrimento por este prisma, nos faz evoluir mais.

Afinal, uma verdade é certa, não ganhamos sempre, não estamos sempre felizes e nem toda a realização frutifica, mas quando você segue entendendo que tudo nos traz crescimento, até as decepções e derrotas, ai você acaba ficando cada vez mais forte.

Gosto da letra de uma música do Los Hermanos, que descreve bem como deveríamos seguir a vida:

“Olha lá, quem acha que perder
É ser menor na vida
Olha lá, quem sempre quer vitória
E perde a glória de chorar

Eu que já não quero mais ser um vencedor
Levo a vida devagar pra não faltar amor”

Nem sempre venceremos, nem sempre estaremos felizes e seremos lembrados. Mas sempre podemos aprender com os problemas!

7 visualizações

TEMPESTADE

Há um tempo aconteceu um grande temporal em minha cidade. Um vento muito forte varreu a cidade e eu agradeço a Deus que a única coisa que a tormenta me trouxe na madrugada foi o medo, e algumas poucas arvores quebradas.

É curioso como estes vendavais aparecem de repente em nossa vida e nos pegam desprevenidos. E o meu maior medo é que diante de um vendaval destes, não podemos fazer nada. Ele nos deixa impotentes e sem saída, e se não temos algum lugar para correr, perecemos. Tal qual o tsunami que varreu o litoral do Japão em 2011, onde ondas arrasaram a cidade, deixando pessoas sem ação e sem saída

Quantas coisas lhe pegaram desprevenido? Quantas tempestades castigaram a sua vida?

Situações que nem de perto você imaginou passar, mas acabou passando, deixando você sem chão. Tempestades não são boas, situações que te tiram a paz são como pedras no caminho, um muro intransponível, ou quem sabe pareça um castigo divino por causa de alguma desobediência sua, pelo menos é o que alguns pensam

Quando falam em caos e dificuldades, logo lembro da história de José do Egito, descrita lá em Gênesis 37. É um texto interessante que suscita diversas conclusões.

A Bíblia diz que ele era o filho que o seu pai mais gostava (Gênesis 37:3) e um dia este filho tem um sonho, ele sonha que todos da sua família iriam se prostrar diante dele (Gênesis 37:7, 37:8). Sonho interessante não é? Mas os seus irmãos não gostaram, tiveram raiva daquele irmão e planejaram acabar com a vida daquele rapaz sonhador (Gênesis 37:20) mas após um dos irmãos suplicar para que não o matassem, decidem vende-lo a uns mercadores que passavam (Gênesis 37: 27).

Mas como Deus era com José, ele acaba indo parar na casa do Potifar, que era um capitão da guarda do palácio (Gênesis 39:1). E lá ele se da bem, tanto que acaba com uma posição de destaque, tendo a responsabilidade de administrar aquela casa (Gênesis 39:2-6). Mas novamente algo devia estar conspirando contra aquele homem, e José foi preso acusado de abusar da mulher do dono da casa (Gênesis 39:13-15), depois de muitas vezes se negar de  deitar com ela (Gênesis 39:7-12).

No fim de toda esta confusão e já na cadeia, ele acabou mesmo em meio daquele caos, sendo abençoado por Deus novamente, conquistando a confiança do carcereiro, virando por este motivo seu ajudante (Gênesis 39:21-23). Que no final, acaba interpretando o sonho de dois presos, sendo que um destes sonhos era um aviso que um deles iria ser liberto em breve (Gênesis 40:12-13).

Depois de interpretar o sonho e pedir aquele homem que intercedesse por ele quando ele fosse liberto, sabe o que aquele preso fez quando ganhou a liberdade? Esqueceu de José por dois anos, sim, dois anos (Gênesis 41:1). Que gratidão não é?

Quantas tempestades, tal qual José, você passou? Já sofreu injustiças? Já foi abandonado? Sua vida de uma hora para outra virou de cabeça para o ar?

Normal, muitos passam pelo o que José passou, em algum grau maior ou menor, mas a pergunta que você deve fazer é, como passar por estas situações de uma forma que agrade a Deus? Mas por fim o sonho de José se cumpre e ele vira governador, e acaba ajudando os seus irmãos, vale a pena conferir a história toda escrita a partir de Genesis 37, mas este texto me traz duas reflexões diante de todas estas dificuldades.

A primeira é: não importa o seu caos ou a sua dificuldade, Deus nunca te abandona. E mesmo em lugares difíceis, períodos de crises e inseguranças, Deus esta conosco cuidando de nós.

Você de alguma maneira pode achar que José foi azarado, mas ele foi salvo da morte e Deus ao longo de sua vida, além de cuidar por inteiro dele, transformou todo o mal tramado contra ele em bem (Gênesis 50:20)

E por fim a segunda reflexão que tiro é: Siga confiando, confiar é seguir sem medo, apesar dos problemas.

Confiar no dicionário é:

Entregar aos cuidados, à fidelidade de alguém. Entregar (alguma coisa) a alguém sem receio de perdê-la ou de sofrer dano.

Confiar é largar o controle, é saber que depois da tempestade vem a bonança

Quando a minha avó e meu avô saíam de carro, ela ia o trajeto todo dando opinião quanto ao modo do meu avô dirigir. Isso o irritava, dando a entender que ele não sabia o que estava fazendo, com Deus não é diferente

Na nossa vida fazemos a mesma coisa. Achamos que Deus não esta respondendo só porque ele não esta agindo da forma que esperamos. Achamos que ele não sabe o que faz por isso nos desesperamos, oramos mandando Deus fazer a sua parte e direcionamos Deus em como ele deve proceder.

Entenda, as vezes a nossa vida não esta tão ruim, ela só esta em um caminho diferente e você tem que aceitar isso, confiar não é palpitar, mas saber que apesar do caos no caminho, Ele cuida de nós.

Sabe, nós temos um grande problema, aquele bem velho. Dizemos que confiamos e não confiamos. Queremos que Deus nos guie, mas de nossa maneira. Queremos a ajuda dele, de nossa maneira, afinal, nós sabemos mais que Deus não é? Muitas vezes não estamos dispostos a seguir, apesar das lutas, isso não é confiar.

As vezes acho que nos consideramos pessoas com alguns privilégios. Porém o privilegio mais importante, que nós sempre esquecemos é servir a Deus. E quando entendemos o nosso papel de servos, paramos de enxergar o mundo da nossa maneira hedonista.

 Falamos tanto em servir a Deus, mas priorizamos mais em sermos servidos. José era um servo, ele sabia disso e deve ser por isso que ele não perdia tempo reclamando, ele seguia confiante, sabendo que Deus cuidava dele, e o texto nos mostra que Deus cuidou. Isso sem contar que José não guardou mágoas, nem semeou vingança em seu coração. Ele seguiu trabalhando e confiando em Deus

Portanto, confie; siga fazendo a sua parte e quando você não tiver saída e não souber o que fazer entregue tudo nas mãos de quem sabe muito bem o que fazer, Deus!

19 visualizações

DESERTO

Quem nunca se sentiu abandonado e sozinho que atire a primeira pedra. Ou quem nunca achou que no instante em que orava parecia estar falando com as paredes, com o imaginário, seja o primeiro a atirar.

Momentos de deserto fazem parte de nossa existência, períodos onde tudo parece conspirar contra nós vêm junto com o tal viver. Mas isso não se limita a nós “meros mortais”, ao lermos a Bíblia veremos inúmeros servos de Deus na mesma situação.

Elias foi um deles, que após se esconder da rainha Jezabel, desejou a morte (1Reis 19:4)

E o que falar de Jó, que desejou morrer após perder tudo o que tinha (Jó 3:1-25). Este livro é uma das provas que homens de Deus também passam por problemas.

Mas a pergunta que temos que fazer quando passamos por estas situações é:

Deus se afastou de mim, ou eu que me afastei dele? Quem abandonou quem?

Costumamos nos sentir sozinhos, desamparados, mas muitas das vezes quem se afasta de Deus somos nós. Esquecemos de verdadeiramente confiar, verdadeiramente acreditar que ele não nos deixa de lado. Jesus disse em Mateus 28:20

“Eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém”

Brennnan Maning em um vídeo no YouTube chamado: você que crê ele te ama?, Da algumas declarações interessantes sobre confiar em Deus, ele acredita que quando chegarmos aos céus o todo-poderoso nos fará apenas uma pergunta:

“Você realmente acreditou que eu te amei?”

E é esta a questão, pois se realmente acreditamos que Ele nos ama, que morreu por nós e que cuida de nós, temos que levar esta certeza no coração, mesmo entre momentos obscuros e solitários ou em períodos de caos. Deus não nos abandona, Ele é o único fiel e esta verdade deve estar marcada em nosso peito.

Sem contar que o sentimento de abandono também serve para que aprendamos a confiar em Deus e creiamos em seu cuidado. Há tempos o homem tem se esquecido da escola do deserto, de como evoluímos diante das dificuldades. Somos filhos de uma geração que não pode sofrer, que se algo dá errado culpamos Deus.

O problema é que falamos que confiamos, mas na verdade não estamos confiando de verdade. Quando nutrimos expectativas, quando esperamos resultados, estamos tomando o controle sem deixar Deus fazer o que realmente quer.

Confiar significa: Se entregar aos cuidados de alguém, sem receio de sofrer ou perder algo. Ou seja, é largar o comando e deixar Deus controlar

41 visualizações