SEJA A MENSAGEM

“A sua vida pode ser a única Bíblia que o seu amigo lê” (STROBEL, 2001, p. 149).

Já tive a oportunidade de ver muitos novos convertidos com aquela sede de transmitir a palavra as pessoas. A experiência tinha sido tão importante em suas vidas, que eles acabavam querendo espalhar para todos os conhecidos a novidade. O real encontro com Deus nos faz querer evangelizar e contar as boas novas. O problema é que nem sempre um novo convertido faz isso da forma adequada, nos primeiros anos, não é incomum ver estes animados cristãos ofenderem, imporem ao invés de dialogar. Terminando por fechar inúmeras portas. Afinal, ninguém gosta de imposição.

Conheci muitos cristãos que ao invés de evangelizar, ofendiam, acusavam, apontavam erros, e por fim, acabavam sendo legalistas. Em uma atitude que poderíamos apelidar de “evangelizar as avessas”. As boas novas do Evangelho, antes de tudo, significam, “boas notícias”. Tudo começa com uma boa notícia, com uma palavra de esperança, com a notícia de que “nem tudo está perdido”. E não com imposição, ou com a afirmação de que todos vão para o inferno. Já vi gente pregar esta notícia com um sorriso no rosto. Como se fosse prazeroso pensar na possibilidade de ver pessoas ardendo em um lago de fogo.

A maturidade é um ponto fundamental na fé cristã, por isso que, novos convertidos devem ser sempre discipulados, devem aprender a verdade do evangelho, e entender que somos responsáveis por transmitir a palavra, sem impor. Quando entendemos a nossa responsabilidade, não nos sentimos felizes por vermos pessoas recusando a palavra de Deus.

A citação do começo do texto é do Lee Strobel, do livro “Inteligência espiritual”, e segundo o autor, é um ditado conhecido na região onde mora. Uma frase que sintetiza não só como devemos levar a nova vida cristã a sério, mas qual é o impacto de quem busca ter uma vida alicerçada na palavra.

A melhor pregação que podemos oferecer as pessoas é a nossa própria vida. É darmos o exemplo, falar só por falar, não dá efeito. Não podemos forçar ninguém a seguir Jesus, precisamos, sem dúvidas, respeitar gostos, opiniões e pontos de vista. Contudo, quando a nossa vida é alicerçada na palavra, você não precisa nem falar. A sua fala vai ser só um complemento quando a pessoa perguntar algo sobre a sua fé.

Não existe fórmula para falarmos de Deus, pois cada caso é um caso. Entretanto, o exemplo é um bom ponto de partida. Só não se esqueça que, para que a nossa vida possa transmitir a mensagem, precisamos estar realmente centrados na palavra.

Quem não vive o evangelho, só vai poder falar. Quem vive, não se preocupa, se concentra em ser, deixando que Deus proporcione a melhor oportunidade para ele falar, e completar a mensagem que a sua própria vida já traz.

BIBLIOGRAFIA

STROBEL, Lee, Inteligência espiritual: Como alcançar os que evitam Deus e a igreja, Editora Vida, São Paulo, 2001.

10 visualizações