Resultados para tag "filosofia"

2 Artigos

ECOFILOSOFIA

O assunto ecologia tem estado em pauta nas notícias e meios de comunicação há muito tempo. É imprescindível notar o que a falta de cuidado e zelo têm feito com a natureza. Nos últimos meses, temos tido alguns exemplos destas atitudes ao assistimos queimadas acontecerem indiscriminadamente e as lamentáveis poluições com petróleo que causam um enorme estrago na biodiversidade marinha.

Ecologia é uma palavra que vem do grego oíkos (casa) e logia (estudo), podendo ser resumido como o “estudo do meio ambiente”, não se limitando é claro a apenas aos ecossistemas, mas também ao ser humano e o impacto que ele causa no meio (CHAMPLIN, 2013, p. 322). Sendo a ecofilosofia um outro ramo que estuda o tema, mas vai um pouco mais longe, pois se aprofunda um pouco mais nas questões humanas, suas prioridades quanto ao comércio e sua atitude empática quanto a natureza. Tudo o que o homem faz causa algum impacto, seja negativo ou positivo, sendo que quando falamos da natureza, temos que entender que somos responsáveis por seres no qual não possuem qualquer forma de se defender.

A Ecofilosofia nasceu em 1973, onde também foi chamada de Ecologia Profunda, sendo ela uma opção a ecologia rasa que estava sendo praticada na época, um de seus criadores foi o norueguês Arne Naes. O criador da Ecofilosofia acredita que só é possível o progresso quando este tem uma visão holística do seu meio e da sua interação com o planeta.  

Ter visão holística é saber olhar o todo, é intender que no fim, tudo está interligado, sejam as nossas atitudes, como vivemos e como a sociedade consumista vive.

Talvez o grande problema do homem seja viver como se a natureza não tivesse fim, como se os recursos fossem inesgotáveis, como se o mundo suportasse tanta exploração.

Olhar para o mundo e aprender a ser um consumidor consciente, que preserva, separa o lixo, ou olha para a natureza com mais cuidado, é ser uma pessoa que olha para o futuro.

Quando não olhamos para o presente e não mudamos nossas atitudes, caímos no perigo de desconstruirmos o futuro, sem deixar algo para as próximas gerações. Ou o pior, deixando um problema enorme para eles resolverem.

BIBLIOGRAFIA

CHAMPLIM, RN. Enciclopédia bíblica de teologia e filosofia, SÃO PAULO, HAGNOS, 2013

MELO, Priscila.  Ecofilosofia. Disponível em:

https://www.estudopratico.com.br/ecofilosofia-o-que-e-como-surgiu-e-suas-visoes. Acesso em: 28 out. 2019

2 visualizações

DEBATE E DISCUSSÃO

Eu gosto muito de um bom debate, a troca de ideias e de pontos de vista é fundamental para o nosso desenvolvimento. Crescemos muito defendendo o nosso ponto de vista, afinal, o debate faz com que possamos expor nossos argumentos e verificarmos se eles realmente são concisos. É em um debate que você vai perceber se está certo, ou se o seu argumento é incoerente, é defendendo o seu ponto de vista de forma honesta que você reafirmará sua crença, ou abandonará por perceber que seus argumentos são fracos. Porém, apesar de eu gostar de debater, eu raramente o faço, por perceber que a motivação da maioria dos debates não é a verdade, e sim defender um ponto de vista a qualquer custo. Na filosofia existem dois termos que nomeia quem quer fazer um debate em nome de se chegar à verdade, e quem quer apenas vencer uma discussão, os termos são erística e dialética:

“É importante distinguir a erística da dialética. Os que praticam a primeira só querem vencer, enquanto aos dialéticos tentam descobrir a verdade. Na realidade, trata-se da distinção entre debate e discussão” (RUSSEL, 2017, p.61)

Conheci muitos que sabiam ganhar uma discussão, eu mesmo já perdi alguns debates para quem dominava tal arte, mesmo eu tendo bons argumentos. Nem sempre quem ganha a discussão é alguém que tem razão, às vezes o indivíduo sabe apenas falar. Os sofistas eram os indivíduos que dominavam esta prática, eles acreditavam que a verdade era relativa e não eram amantes da investigação, enquanto os filósofos eram quem seguiam em busca da verdade:

“Embora os sofistas tenham desempenhado valioso papel no campo da educação, a sua visão filosófica foi hostil à investigação. Pois o seu ceticismo foi de desesperanças, uma atitude negativa frente ao problema do conhecimento. O resumo dessa posição é a famosa frase de Protágoras: ”O homem é a medida de todas as coisas, do ser daquilo que é, do não ser daquilo que não é”. Assim, a opinião de cada homem é verdadeira para ele, e as desavenças entre os homens não podem ser resolvidas com base na verdade. Portanto, não admira que o sofista Trasímaco defina a justiça como a vantagem do mais forte” (RUSSEL, 2017, p.61)

Concordo que a pesquisa e a investigação dá trabalho, não é fácil estudar, é mais fácil ficar vendo filmes o dia inteiro. Concordo também que algumas desavenças são difíceis e até impossíveis de se resolver. Somando isso ao fato que queremos sempre ter razão, a missão se torna quase impossível, contudo o debate é importante, a busca por diálogo é fundamental para chegarmos à verdade, a leitura e o estudo é crucial para uma vida centrada.

São muitos erros por conta da falta de conhecimento, a ignorância e o orgulho têm fabricado discursos de ódio, segregação e exageros dos mais diversos, por isso temos que aprender a dialogar. Gosto de uma citação de Hesíodo que resume bem a importância de estar aberto a aprender, tirado do livro de Aristóteles: Ética a Nicômaco:

“Ótimo é aquele que de si mesmo conhece todas as coisas; Bom, o que escuta os conselhos dos homens judiciosos. Mas o que por si não pensa, nem acolhe a sabedoria alheia, esse é em verdade, um homem inteiramente inútil” (2013, p. 12)

Se conhecer, saber quem somos de verdade, escutar o sensato, o justo em seus julgamentos e saber colher a sabedoria alheia, saber aprender, é o caminho para não sermos inúteis.  Eu gosto da definição que o dicionário dá para inútil:

Desnecessário; sem utilidade; desprovido de serventia; que não serve para nada (Dicio)

E isso ninguém quer ser, apesar da preguiça que muitos têm de estudar. Por isso não seja como os sofistas, aprenda a ser humilde e reconhecer os pontos falhos em seus argumentos. O conhecimento vem de busca, a relevância vem quando encontramos nossas incoerências e nos dirigimos em busca da verdade, seja ela qual for.

Não tenha como prioridade ganhar uma discussão e sim, a de chegar à verdade. Ouça preste atenção e pesquise. Esteja sempre aberto para duvidar e reavaliar seus pontos de vista. Nem sempre estaremos certos, ganha mais quem está aberto para o conhecimento.

 

 

BIBLIOGRAFIA

RUSSEL, Bertrand, História do Pensamento Ocidental, Editora Nova Fronteira, Rio de Janeiro, 2017

Aristóteles, Ética a Nicômaco, Editora Martin Claret, São Paulo, 2013

https://www.dicio.com.br/inutil

25 visualizações