THOMAS MERTON O APÓSTOLO DA COMPAIXÃO – J. C. ISMAEL

No silêncio aprendemos a fazer distinções. Os que fogem do silencio também fogem das distinções. Não querem ver muito claro, preferem a confusão… A vida não deve ser olhada como uma torrente ininterrupta de palavras, apenas silenciadas pela morte… Como é patético ver que justamente aqueles que falam sem parar são os que nada têm a dizer. A razão da sua loquacidade é uma só: a morte.

Esta é a inimiga que parece afrontá-los a cada instante na profunda escuridão e silencio do seu ser. Gritam contra a morte. Confundem a sua vida com ruído. Atordoam os ouvidos dos seus ouvintes com palavras sem sentido, impotentes que são para descobrir as raízes do seu coração num silêncio que não é morte, mas vida.

Fonte: ISMAEL, J. C, Thomas Merton, O Apóstolo da Compaixão, Editora Taq, São Paulo, 1984

3 visualizações