A FUNÇÃO DA DÚVIDA

“Pertence a uma fé madura lidar apropriadamente com as dúvidas. Elas fazem parte da fé” (GRÜN, 2016, p. 138).

Seguir a Deus não é ter uma vida bem informada, com todas as dúvidas respondidas. Aliás, sinto lhe informar, por certo, é bem possível você ter ainda mais dúvidas ao começar a seguir a Jesus.

Duvidar não é errado, faz parte do ser humano que pensa, reflete e dialoga. E ao contrário do que muitos acreditam, a dúvida, quando bem administrada é ótima.

É a dúvida que nos força a estudar e a conhecer ainda mais um assunto. Os questionamentos nos movem e nos forçam a ação, a busca, ao caminho das respostas. Quem tem sempre certeza, não caminha, fica estagnado em sua própria ignorância. Agora, quem duvida, está sempre em movimento, mergulhando cada dia mais no assunto, em busca de respostas e conhecimento. Pelo menos aqueles que sabem usar a dúvida a seu favor, pois eu sei que nem todos sabem. Anselm Grün complementa:

“Sem a dúvida, eu simplesmente estaria aceitando o que os outros me dizem. Ela me obriga a observar mais precisamente o que eu creio, a questionar minhas próprias concepções de Deus e a me abrir ao Deus totalmente outro e inconcebível” (GRÜN, 2016, p. 138).

Foi por conta da dúvida que eu segui no caminho da pesquisa e do estudo. Ela me colocou em movimento e fez com que eu aprendesse. Quando bem usada, a dúvida é ótima, ela nos faz crescer e ir em busca do conhecimento.

É claro que existe a dúvida nociva, que duvida por duvidar, e não segue em busca de respostas. Assim como tem aqueles que acreditam em tudo, sem questionar e ir em busca de fundamentos. As duas atitudes são igualmente perigosas, são extremos, bem opostos, mas igualmente perigosos.

Precisamos entender também que nem sempre teremos respostas, existem coisas que são inexplicáveis, precisamos aceitar as nossas limitações e as nossas finitudes. Contudo, nada nos impede de buscarmos conhecer e tentar, sem qualquer ânsia extrema, aprender e encontrar explicações.

A função da dúvida é nos mover, é nos empurrar em direção ao conhecimento e informação. Ela nos ensina a não aceitarmos respostas prontas, sem investigação e critérios.

A dúvida saudável nos move, a certeza contraditória nos ancora em um ponto de vista sem fundamentos.

BIBLIOGRAFIA

GRÜN, Anselm, Ser uma pessoa inteira, Editora Vozes, Rio de Janeiro, 2016.

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.

Você pode usar estas tags e atributos HTML:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.