Resultados para a categoria "PROVÉRBIOS"

12 Artigos

A ODISSÉIA DA DOR XII: A FÉ DE JÓ

“Uma fé como a de Jó não pode ser sacudida, porquanto é o resultado de ter sido sacudida” (Abraham Heschel) (YANCEY, 2004, P. 220)

Quando era novo, tive episódios de dores de ouvido muito fortes. Eu lembro como se fosse hoje, por serem insuportáveis. A questão é que com o tempo, depois de tantas aflições, acabei ficando resistente a dor. Hoje eu não tenho mais estas dores de ouvido, depois de mais velho, descobri as causas e busquei a cura. Contudo, ela me fez mais forte, não sou imune a ela, sou um ser humano normal, mas sou um pouco mais resistente. A dor para me derrubar, tem que ser muito forte.

Jó é conhecido como um homem de fé, uma fé inabalável, que fez com que ele olhasse ainda mais para Deus, ao invés de jogar tudo para o alto. O segredo dele era simples, a sua fé inabalável, vinha justamente dos problemas.

Não é fácil passar por situações difíceis, mas são elas que primeiramente nos ensinam. Quando descobrimos a riqueza de aprender com as dificuldades, crescemos, e criamos aquelas experiências práticas da vivência, com a própria vida e as situações nos ensinando.

Em segundo lugar, o caos nos leva a olharmos para Deus e buscarmos a ele com afinco. Nós só passamos pelo deserto com a oração, é de joelhos que enfrentamos as dificuldades, não há outra forma. E isso nos aproxima do nosso Pai. Jó, por conta das dificuldades, passou a conhecer ainda mais Deus e isso mudou a sua vida. Jó deixa isso muito claro quando ele diz:

“Eu te conhecia só de ouvir, mas agora os meus olhos te veem” (Jó 42:5).

É durante as provações que não só buscamos, mas também conseguimos intimidade com o criador. É quando Deus se revela, e nos mostra que não estamos sozinhos, que crescemos e aprendemos a enfrentar as intempéries.

Não foi fácil passar por todos estes obscuros vales, em muitos momentos eu me senti desamparado e abandonado. Mas eu busquei, não me entreguei ao que parecia, e sim, me concentrei na palavra de Deus e nas suas promessas.

Foi nestes dias que aprendi a confiar, e me entregar crendo que no final, Deus estava comigo. Se cremos que Deus nos ama, devemos confiar em seu amor e não se entregar ao que parece, mas não é.

BIBLIOGRAFIA

YANCEY, Philip, Decepcionado com Deus: três perguntas que ninguém ousa fazer, Editora Mundo cristão, São Paulo, 2004.

2 visualizações

GUARDE O SEU CORAÇÃO

Acima de tudo, guarde o seu coração, pois dele depende toda a sua vida (Provérbios 4:23).

O coração é um dos principais órgãos do corpo humano, ele é chamado de órgão muscular, sem ele não conseguimos viver, não tenha dúvidas. Por isso, penso que não foi à toa que o autor do texto usou este órgão como exemplo.

Em dias de tempestade, onde o céu escuro e lúgubre, insiste em tirar a nossa paz, o que é atacado é o nosso coração, é a nossa paz que fica ameaçada e a estabilidade de toda a nossa vida. A pandemia acabou surgindo com este propósito, tirar a nossa estabilidade, e atrapalhar os nossos planos.

 Quando o texto fala em coração, ele quer falar justamente de mente, dos sentimentos, do nosso interior. É a nossa mente que nos guia, é ela que define a paz, ou a falta dela em nossa vida, sendo que o corpo e principalmente o coração, sofre impreterivelmente, um grande impacto. Conforme pensamos, entendemos ou agimos diante dos problemas, colhemos um resultado.

Sua visão de Deus, da vida, sua confiança e o modo como você pensa, define como você vai reagir e de que forma o corpo vai suportar as dificuldades. A mente traduz muita coisa, não foi à toa que o autor do provérbio nos avisou para guardarmos justamente ela.

É através da mente e do modo como pensamos, que confiamos, que buscamos a Deus e seguimos a sua vontade. A vida cristã é racional, é crer, confiar e ler a Bíblia, e com certeza, até para orar, precisamos da mente, do racional, envolve acreditar e pensar. Em contrapartida, é através da mente que sucumbimos, nos desesperamos ou nos entregamos ao medo. A mente pode tanto nos ajudar quanto nos sabotar. Tudo começa pela mente e pelo nosso modo de pensar.

Por isso, aprenda a guardar o seu coração, descubra o poder de estudar a Bíblia e crer na vontade de Deus. Aprenda a olhar para a vida, para os problemas com um pensamento equilibrado e coeso. Ter bons pontos de vista e com pensamentos fundamentados na palavra, com certeza, definirão muita coisa em sua caminhada.

Guarde o seu coração, fundamente a sua vida na palavra e deixe que a mão de Deus te guie.

18 visualizações

VALORES TROCADOS

Uma mensagem que uma catástrofe claramente nos traz é que não controlamos muitas coisas, somos, com toda a certeza, muito vulneráveis. E por mais que alguém acredite que a sua vida está totalmente sob controle, basta uma doença incurável, uma catástrofe natural ou um caos econômico para esta pessoa perceber seu grande engano. A sensação é falsa, é um sentimento totalmente enganoso de controle e segurança. O ser humano tem o péssimo costume de construir castelos de cartas e acreditar naquela fortaleza.

É comum ver as pessoas se protegerem por trás de marcas de carro, roupas de grife ou em ambientes onde só a elite frequenta, buscando nisso uma certa segurança. A própria concepção de status é falsa, é um conceito que se descontrói ante ao menor sinal de falência e só serve para separar as pessoas que se consideram superiores, dos supostos inferiores, como se dinheiro fosse sinal de inteligência e superioridade. No final é tudo poder pré-fabricado, que cai por terra ante ao menor vento.

A doença e a catástrofe mostram como somos frágeis, e o quanto nossos valores são irreais, firmados em areia movediça. Por isso é importante alinharmos bem nossas crenças, e entendermos que é muito melhor depositar a confiança no que é Eterno, no que é realmente duradouro, ao invés de confiarmos em coisas frágeis e sem significado concreto. Provérbios 3:5-7 diz:

“Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas. Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema ao Senhor e evite o mal”.

É em Deus que devemos depositar a nossa confiança, é no Deus eterno que a nossa vida deve estar alicerçada, e não em nossa falsa sabedoria. Não tem como alicerçarmos nossa vida em nosso entendimento, pois constantemente nos enganamos, concluímos conceitos e pontos de vista de maneira equivocada e desastrosa.

O problema não é ter ou não ter, pois isso não faz muita diferença e sim, em quem nós confiamos, em quem nossa vida está alicerçada, em nós e nossa própria sabedoria ou em Deus.

É interessante que o versículo 7 diz para “não sermos sábios aos nossos próprios olhos”, penso que aqui está a raiz de tudo. A questão aqui não é apenas ser orgulhoso de sua sabedoria e sim, que precisamos tomar cuidado com a nossa autossuficiência, uma atitude que pode nos levar a não entregar nossa vida, nossas coisas e escolhas a Deus (CARSON, FRANCE, MOTYER, WENHAM, 2012, p. 891).

O caos sempre grita, ele é um alarme que mostra como nossas crenças são frágeis e como não somos autossuficientes. Sem Deus não somos nada, se não entregarmos nossa vida, escolhas e caminhos a Deus, com certeza e sem dúvida alguma pereceremos. O caos aponta para nossos erros e escolhas e nos obriga a olhar para Deus e confiar toda a nossa vida em suas mãos.

Entender que podemos estar enganados e que no fim, a palavra de Deus é que deve ser o nosso Norte, é básico para não esquecermos em quem devemos depositar a nossa confiança.

BIBLIOGRAFIA

CARSON, D.A, FRANCE, R. T, MOTYER, J. A, WENHAM, G. J, Comentário Bíblico Vida Nova, Editora Vida Nova, São Paulo, 2012.

10 visualizações

TAGARELICE

Estamos em dias onde o falar e o opinar é constante, afinal, antigamente apresentávamos nossa opinião em rodas de amigos ou nas mesas de café da manha. Hoje a opinião é dada a qualquer hora, de qualquer lugar e de qualquer maneira, sem medirmos nossas palavras. E isso não é tão ruim, é bom ter voz, o problema que eu vejo nas tagarelices de hoje é a superficialidade, são as conclusões sem raciocínio e sem conteúdo. Isso sem contar quando muitas vezes perdemos tempo ao ficar falando mal dos outros.  Provérbios 21:23 diz:

“Quem é cuidadoso no que fala evita muito sofrimento” (NVI)

Quem sabe guardar a língua se poupa de problemas, quem não perde tempo falando mal dos outros ou opinando em cima do que não conhece, guarda-se de problemas, o que me faz lembrar-se de um importante filósofo.

Sócrates tinha três filtros que o protegia dos problemas e burburinhos falsos, que poderíamos resumir como: “O filtro da verdade, bondade e utilidade”.

Ele dizia que quando você fosse contar algo a alguém (ou sobre alguém), você teria que se perguntar: o assunto é verdadeiro? Este é o primeiro filtro, um filtro que nos livra de muitos problemas, ainda mais nestas eras de fake news, onde a mentira é propagada como verdade absoluta.  Você pesquisou sobre o que está falando? Viu se as fontes são confiáveis? Tem certeza se o que você está divulgando é verdadeiro?

O segundo filtro é o da bondade. Sócrates continuava afirmando que ainda que não tivesse certeza, você deveria saber se o que você vai falar é bom. Não vale a pena divulgar coisas ruins com a desculpa de manter as pessoas informadas, ainda mais quando não temos certeza sobre o assunto. O que é ruim chega a nós em uma velocidade extraordinariamente rápida, não precisamos nos informar sobre o caos, pois vivemos no caos. E se é algo sobre alguém, pior ainda. Vale a pena se calar e compartilhar o que é bom, a história de superação, a bondade e a alegria. Em um mundo de caos, a prioridade deveria ser o bem e não os problemas. Não estou incentivando a fecharmos os olhos para os problemas, eles existem e devem ser vistos e discutidos, e sim, priorizarmos o que é bom que nos inspirará ao movimento de mudança e a fazermos diferença.

O terceiro filtro de Sócrates é o da utilidade. O que você vai contar é útil? Tem serventia? Ou é perda de tempo? Com o tempo vamos aprendendo a nos dedicar ao que vale a pena, a falar o que é útil, a compartilhar o que importa.

Em dias onde opinar é fácil, ter uma postura sábia e aprender a se calar é uma atitude importante. Controlar a língua é se livrar de desgraças. Saber a hora de falar ou falar apenas do que conhecemos, é uma passo importante para evitarmos o sofrimento.

Quando o comichão na língua começar, lembre-se deste versículo. Quando a tentação de discorrer sobre algo que você não conhece vier, aprenda a se calar e se livre dos problemas usando o filtro de Sócrates.

14 visualizações

PÉS QUE CORREM PARA O MAL- PT5

pés que se apressam para fazer o mal.. (Provérbios 6:18)

 Nunca mais me esqueci de um desenho chamado “Corrida Maluca”. Passei a minha infância assistindo tal animação.

O desenho, como o título já evidencia, se trata de uma corrida de carros, com muitos personagens curiosos e carros malucos, dos mais caricatos. Só que entre os corredores, havia um personagem chamado “Dick Vigarista”, que insistia em trapacear em toda a corrida, porém no fim ele só se dava mal.

Muitos são assim, tal qual este personagem, não hesitam em correr para o mal, cultivam em sua vida apenas maldades. Eu gosto de como Eugene H. Peterson traduz este versículo:

“Pés que correm pela trilha da impiedade”

São estes impiedosos que correm para a maldade, que passam por cima de todos e propagam a injustiça a qualquer custo.

Mais uma vez eu não consigo deixar de citar a política brasileira, com sua corrupção, roubando uma nação inteira, e jogando a conta de todo o roubo no bolso dos desafortunados.

Estes que se mostram cordeiros na hora da eleição e depois de eleitos viram lobos devoradores, são os atletas da impiedade. Que não demoram a correr para o mal, vivendo só no egoísmo, destilando injustiça e impiedade por onde passam. Salmos 34:15,16 diz:

“Os olhos do Senhor voltam-se para os justos e os seus ouvidos estão atentos ao seu grito de socorro;

o rosto do Senhor volta-se contra os que praticam o mal, para apagar da terra a memória deles”

Deus protege os seus, ele cuida e atende seus gritos de socorro, e os injustos e impiedosos, lamento informar-lhes, um dia terão que prestar contas com o Grande Senhor. Aí, diante d’Ele, nenhuma desculpa funcionará muito menos justificativas.

Quem planta o mal, colhe o mal e o pior, prestará conta um dia ao Deus da glória, por isso preste bem atenção em suas prioridades, em qual direção você tem buscado correr, pois esta é uma das coisas no qual Deu abomina.

 

230 visualizações